por Redação

Confira os premiados do segundo Prêmio Trip Transformadores que aconteceu em 2008

Cássio Clemente, filho de Jô Clemente, vencedora da categoria Acolhimento

Cássio Clemente, filho de Jô Clemente, vencedora da categoria Acolhimento


ACOLHIMENTO
- Enfoque em 2008 // Família

JÔ CLEMENTE - REPRESENTADA POR CÁSSIO CLEMENTE
Quando tinha apenas 35 anos de idade, Jô Clemente fundou em São Paulo uma instituição que se tornaria referência no tratamento a portadores de síndrome de Down no Brasil. A Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais (APAE) começou em um pequeno sobrado, montado graças ao seu empenho diário para entender melhor os limites de seu próprio filho, o Zequinha, diagnosticado com a síndrome aos 2 anos de idade. O trabalho criado por essa mato-grossense de 82 anos hoje atende 400 mil crianças por ano de forma praticamente gratuita.

"Como filho da Jô Clemente estou muito orgulhoso de receber esse prêmio. Ela conseguiu transformar os termos bobos e mongolóides por excepcional, deficiente intelectual. Estou muito orgulhoso. ”

 

 

 

 


Marcos Palmeira, vencedor da categoria Alimentação

Marcos Palmeira, vencedor da categoria Alimentação


ALIMENTAÇÃO -
Enfoque em 2008 // Gestão e inteligência

MARCOS PALMEIRA

Quem conhece o ator Marcos Palmeira apenas pelo seu trabalho na televisão pode não ver uma ligação direta entre ele e o tema desta categoria. Mas há quase dez anos o ator iniciou o trabalho de cultivo de alimentos orgânicos em sua fazenda, a Vale das Palmeiras, em Teresópolis. Só consome o que for plantado e colhido segundo os mandamentos da agroecologia ou agricultura biodinâmica. E aconselha a todos fazerem o mesmo. Tanto que foi responsável pela implantação de um sistema de produção de orgânicos em aldeias xavantes, no Mato Grosso.

"Nunca esperei receber um prêmio destes na minha vida. Como cidadão tem sido muito gratificante ver pessoas que estão ligadas com a saúde do planeta.”

 

 


Frans Krajcberg, vencedor da categoria Biosfera

Frans Krajcberg, vencedor da categoria Biosfera


BIOSFERA -
Enfoque em 2008 // Sustentabilidade

FRANS KRAJCBERG

Após perder a família nos campos de concentração durante a Segunda Guerra, o artista plástico polonês radicou-se no Brasil, onde denunciou queimadas e desmatamentos no Paraná e na Amazônia. Em Nova Viçosa (BA), local onde mora numa “casa na árvore” a 12 metros do solo, defendeu as tartarugas marinhas e postou-se em frente a um trator para evitar a abertura de uma avenida. Em suas gravuras e esculturas, utiliza materiais de origem mineral e vegetal, incluindo árvores resultantes de queimadas. Pretende criar a Fundação Frans Krajcberg para oferecer nova perspectiva aos jovens e criar uma identidade cultural na região onde vive.

"Nosso planeta está na UTI, e com muita febre. Nós precisamos acordar e pensar a saúde do planeta."

 

 

Marcelo Araújo, vencedor da categoria Conexão

Marcelo Araújo, vencedor da categoria Conexão


CONEXÃO -
Enfoque em 2008 // Memória

MARCELO ARAÚJO
Diretor da Pinacoteca do Estado de São Paulo desde 2002, Marcelo Araújo tornou-se um dos grandes responsáveis pelo sucesso de público da instituição e pela revitalização urbana da área em seu entorno, graças ao caráter moderno e democrático de seu trabalho. Atualmente, mais de um século de história da arte está sob responsabilidade do museólogo, em um total de mais de 6 mil obras abrigadas no museu mais antigo da cidade, inaugurado em 1905.

"Estou muito emocionado. Este prêmio é um reconhecimento da Pinacoteca como espaço de transformação.”

 

 

 

 

Prof. Hermógenes, vencedor da categoria Corpo

Prof. Hermógenes, vencedor da categoria Corpo


CORPO
- Enfoque em 2008 //Equilíbrio

PROF. HERMÓGENES
Escritor, terapeuta, conferencista, professor de ioga. Qualquer que seja o título que ele receba, o que realmente importa para esse potiguar de 87 anos é continuar promovendo saúde e bem-estar físico e espiritual para as pessoas. Autor de mais de 30 livros, ele divide seu tempo entre as posturas do ioga e os congressos científicos ao redor do mundo. Com um doutorado em terapia de ioga na Índia, chegou a desenvolver um método próprio de exercícios para deixar as pessoas mais felizes e menos nervosas.

"Agradeço a Deus, a todas as pessoas, e a essa revista que encontrou utilidade em oferecer prêmios àqueles que dedicam suas vidas a transformar os outros.”

 

 

 

Ricardo Guimarães representando José Júnior, vencedor da categoria Desprendimento

Ricardo Guimarães representando José Júnior, vencedor da categoria Desprendimento


DESPRENDIMENTO
- Enfoque em 2008 // Inovação

JOSÉ JÚNIOR - REPRESENTADO POR RICARDO GUIMARÃES
Carioca, 40 anos, José Junior passou a maior parte da sua vida sentindo a violência na própria pele, presenciando os mais diversos conflitos gerados pelo tráfico de drogas nos morros do Rio de Janeiro. Em 1993, abriu uma ONG em Vigário Geral e fundou o grupo cultural AfroReggae, hoje conhecido no mundo todo. Quatro anos depois, decidiu entrar em Parada de Lucas, comunidade vizinha comandada por uma facção rival, para iniciar o projeto Rompendo Fronteiras. Com oficinas de música, teatro e muita informação consistente, ele transformou a vida de crianças e jovens de diversas comunidades cariocas. Junior é o único indicado ao Trip Transformadores pela segunda vez.

"Quando o Júnior me pediu pra representá-lo, ele disse: fala o que vier do seu coração. E o AfroReggae é isso, são pessoas que lutam por eles mesmo, fazem as coisas com o coração.”

 

 

Hermano Vianna, vencedor da categoria Diversidade

Hermano Vianna, vencedor da categoria Diversidade


DIVERSIDADE
- Enfoque em 2008 // Diversidade cultural
HERMANO VIANNA
O antropólogo Hermano Vianna é criador e coordenador do site colaborativo Overmundo, que serve de canal de expressão para tornar visível a produção cultural de brasileiros em toda sua diversidade. Sempre com o objetivo de promover as mais diferentes manifestações culturais, Hermano participou da realização de programas de TV como Programa legal, African pop, Além-mar, Brasil legal, Central da periferia e Música do Brasil, pelo qual levou uma indicação ao Emmy. Irmão do músico Herbert Vianna, já foi curador do Carlton Artes, do Percpan e do Tim Festival. Além de ser colaborador da Folha de S.Paulo e da Rede Globo, é autor dos livros Mistério do samba e O mundo do funk carioca.

"Eu tinha falado que ficaria revoltado se ganhasse esse prêmio, pois todos os meus concorrentes são referências, são meus ídolos.”

 

 

Antonio Carlos Gomes da Costa, vencedor da categoria Liberdade

Antonio Carlos Gomes da Costa, vencedor da categoria Liberdade


LIBERDADE
- Enfoque em 2008 // Política

ANTONIO CARLOS GOMES DA COSTA
Casado há 34 anos, Maria José e Antonio Carlos não tiveram filhos biol[ogicos. Mas fazem questão de exaltar seus "filhos pedagógicos", aqueles que receberam sua verdadeira herança, a educação em sua forma plena, através da instituição criada por eles, a FAMJ - Fundação Antonio Carlos e Maria José Gomes da Costa.

"Cada ser humano nasce com um potencial e tem o direito de desenvolvê-lo. Mas para desenvolver esse potencial, essas pessoas precisam de oportunidades.”

 

 

 

 

 

Jair Ribeiro

Jair Ribeiro


SABER
- Enfoque em 2008 // Multiplicação

JAIR RIBEIRO
Além de ser um dos principais empreendedores do país e o idealizador da Casa do Saber, centro de cursos e debates para disseminação do conhecimento, o empresário Jair Ribeiro é o criador da Parceiros da Educação. A ONG se dedica a reunir escolas estaduais de São Paulo com empresários dispostos a patrociná-las, com o objetivo de melhorar o rendimento escolar dos alunos. Atualmente, o trabalho da instituição beneficia 65 escolas e 80 mil estudantes.

"Eu gostaria de agradecer à Trip por reconhecer que a educação é um problema grave do nosso país.”

 

 

 

Monja Coen, vencedora da categoria Sono

Monja Coen, vencedora da categoria Sono


SONO -
Enfoque em 2008 // Silêncio

MONJA COEN
Cláudia Batista de Souza foi ordenada monja em 1983 depois de iniciar seus estudos budistas no Zen Center of Los Angeles. Chamada de Monja Coen, foi a primeira mulher de origem não japonesa a presidir a Federação das Seitas Budistas do Brasil, em 1997. Três anos depois fundou a Comunidade Zen Budista, em São Paulo. Aos 60 anos, Monja Coen promove a Caminhada Zen, em parques públicos, para divulgar a criação de culturas de paz, justiça, cura da Terra e dos seres vivos. Espelha-se na frase de Mahatma Gandhi: “Temos que ser a transformação que queremos no mundo”.

"Ouvir para entender, nós somos a transformação que queremos. Muito obrigada."

 

 

Denis Mizne, vencedor da categoria Teto

Denis Mizne, vencedor da categoria Teto

TETO - Enfoque em 2008 // Medo
DENIS MIZNE
O diretor-executivo do Instituto Sou da Paz tem apenas 32 anos, mas já acumula uma década de trabalho em campanhas contra o uso de armas no Brasil. Aos 22, ganhou uma bolsa para participar de um programa de direitos humanos para jovens ativistas, na Universidade de Colúmbia, em Nova York. Depois de fundar, em 1997, a ONG que ganhou projeção internacional e hoje emprega mais de 60 profissionais em São Paulo, Denis foi chefe de gabinete e assessor especial do Ministério da Justiça, entre 1999 e 2000. Participou do primeiro comitê da Assembléia Geral da ONU, que defendeu a criação de um tratado internacional sobre o controle do comércio internacional de armas.

Este é um prêmio de mudança, de esperança, que dá espaço para as pessoas espalhadas pelo país que estão fazendo a diferença, transformando todo dia a partir da própria vida. ”

 

 

 

Myrna Domit, vencedora da categoria Trabalho

Myrna Domit, vencedora da categoria Trabalho

TRABALHO - Enfoque em 2008 // Honestidade
MYRNA DOMIT
Myrna abandonou sua vida em São Paulo e foi para o Haiti. Lá, participou da Força de Paz da ONU e trabalhou como correspondente para a agência de notícias Associated Press. Armou projetos educativos nas favelas, como o cinema móvel, trabalhou como assessora de imprensa do chefe da missão e ciceroneou personalidades como Angelina Jolie, Brad Pitt e Condoleeza Rice. Atuou também na fundação Yelé, do rapper haitiano Wyclef Jean. Antes disso, trabalhou em um programa diário de uma rádio da ONU em Nova York.

Eu tenho este sonho de querer ajudar o próximo desde criança. É uma avalanche que vem de dentro do coração e foi assim que meu trabalho começou. ”

matérias relacionadas