por Sabrina Abreu

“Se podemos criar juntos, podemos viver juntos”, uma estilista israelense e um ilustrador palestino buscam a paz através da moda, uma peça de roupa por vez

O colorido da recém-lançada coleção da estilista israelense Michal Hidas não denuncia, mas seu processo criativo começou em meio a uma guerra. Era verão no hemisfério Norte quando a designer de 26 anos deixou Milão, onde vive, rumo às férias em Tel Aviv. Os mergulhos no Mar Mediterrâneo, no entanto, tiveram que esperar. Os meses de julho e agosto de 2014 ficaram marcados pelo mais recente conflito na Faixa de Gaza, entre o exército de Israel e o Hamas, grupo palestino que controla essa região desde 2006.  Ao longo de 50 dias de batalha, foram mortos 2.251 palestinos, sendo 1.462 civis, além de 67 soldados e seis civis israelenses. “Eu não podia ficar só assistindo a TV  e acompanhando a contagem de mortos”, lembra ela, que passou a pesquisar o trabalho de artistas palestinos, em busca de alguém com quem pudesse colaborar criativamente.

Mesmo em meio aos escombros, T., de 28 anos, ilustrador e arquiteto baseado em Gaza – que pediu que seu nome fosse guardado em segredo, por medo de retaliação dos membros do Hamas – continuou a compartilhar seus desenhos pela internet, durante e após o conflito. Quando viu os trabalhos de T.,  com enfoque na arquitetura, Michal soube que ele seria o parceiro ideal. A estilista entrou em contato com o ilustrador pelo Facebook, e a resposta que recebeu deu origem a mais do que um trabalho em comum.  “Nós nos tornamos amigos. Ela é incrível, tanto em sua personalidade, quanto em sua arte”, elogia o rapaz, por Skype. Seus desenhos formam as estampas da última coleção que Michal apresentou na Semana de Moda de Belgrado, no último domingo.  Como quaisquer  amigos que vivem a distância, os dois dividem o cotidiano um com o outro, trocando mensagens e imagens via smarphone. “Falamos de nossas referências, música e cultura. Mandamos fotos do que estamos comendo”, conta ela. Ao contrário de outros jovens, porém, eles não podem se visitar. “Não é permitida a entrada de Michal em Gaza, nem a saída de T. do território, seja pela fronteira com Israel ou com o Egito.  A colaboração de Michal e T. tenta ultrapassar essa barreira. “Se podemos criar juntos, podemos viver juntos”, acredita ela. 

“A moda está acima da política”, confirma Yaron Minkowski, veterano estilista israelense que, com a coleção que chegará às araras em abril de 2016, também presta um tributo à coexistência entre judeus e árabes israelenses. Ele fez um manifesto, ao colocar a kaffyiah – tradicional xale palestino – na passarela da Tel Aviv Fashion Week, no último mês de outubro. “É um lembrete de que a maioria de cada lado só quer viver em paz”. O tecido é confeccionado em Hebron, na Cisjordânia, e em Jerusalém Oriental, de onde segue para o ateliê de Yaron, em Tel Aviv. O estilista compra a matéria-prima do conhecido empresário palestino Bilal Abu-khalef, seu amigo há 30 anos. O fornecedor Bilal se surpreende ao saber que, no Brasil, muita gente pensa que israelenses e palestinos vivem em guerra constante. “Não, não, não, não, não”, dispara. “Às vezes, há uma escalada da violência, mas sabemos viver juntos e vamos viver juntos, porque não há outro jeito”, conclui.

VEJA OS DESENHOS DO PALESTINO T. NA GALERIA ABAIXO

matérias relacionadas