por Raphael Morone

Muito talento num país pequeno: um guia da cena hip hop no vizinho Uruguai

Tão perto do Brasil, o Uruguai é ainda é bastante desconhecido, principalmente na música. Contudo, temos um carinho especial pelo país e nesses últimos anos eles vêm produzindo coisas boas dentro do rap, misturando o estilo com influências regionais e aquele flow característico em espanhol. Por isso, elaboramos esse pequeno especial com alguns dos principais grupos de rap uruguaios.

La Teja Pride - O La Teja é o grande nome do hip hop uruguaio. Formada pelos irmãos Edgardo e Leonidas e com presença feminina de Lorena Nader, o grupo já teve diversas formações ao longo dos seus oito anos de história. O nome, uma referência ao bairro operário onde grande parte da banda nasceu, é o ponto de partida para letras que honram o berço  e versam sobre o dia dia dos trabalhadores da capital menos populosa da América do Sul, como na agoniante "Lunes". Com quatro discos lançados na carreira e prestes a lançarem o quinto, os rappers montevideanos contrastam calmaria de ambient music com momentos mais caóticos, caindo no funk e nas distorções de guitarra, reforçando ainda mais o clima urbano e working class que paira sobre o disco. 

Vai lá: www.latejapride.com

 

Contra las Cuerdas - Sinceramente, para nós, este grupo é um dos melhores de hip hop da América Latina. Misturando referências como tango, rock e reggae, até a uma certa pegada Cypress Hill em algumas músicas, como "Legalizar', provavelmente por conta de trechos do vocal. O grupo ainda agrega o ritmo afrouruguaio candombe em "Lejos de acá", que fala de saudade do país, referência à constante imigração uruguaia. Originário de Montevideo, o nome é algo a parte - Contra as cordas, em português - por conta das cordas de um ringue de boxe. Até o clipe do "El Paraiso", estilosíssimo, é uma luta de boxe. O álbum autointitulado de 2008 vale uma ouvida com atenção.

Vai lá: www.myspace.com/clchiphop


Beat Urbano - Na ativa desde 2005, tem só um único e marcante álbum completo, o El Poder del Beat, ganhador do prêmio Graffiti 2011 de melhor álbum de hip hop no Uruguai. A dupla, formada por Gonzalo Beat e DJ Madnezz, tinha originalmente o descolado nome de Mercado Negro e atualmente faz parte do coletivo La Voz de tu Barrio. A pegada dos caras vai desde beats mais pesados, quase gangsta, a tracks mais sussas, como "Dime", uma das melhores faixas do álbum. É um dos grupos mais ativos do país.

Vai lá: http://beaturbano-uy.blogspot.com

 

235 - Desde 2005 como uma das principais forças da cena uruguaia, o Dostrescinco já está no seu quarto disco. Sua mais nova produção é o EP Gente en obra, lançado em 2011 e disponibilizado para download gratuíto no site do grupo. O melhor da sonoridade deles é a adição de reggae e a forte presença do orgão em grande parte das músicas. Destaque para tracks como a reggae-rap "No vengo con historias", a poderosa "Sonido como estética", que começa com uma intro pesada de orgão e se transforma num beat que sampleia continuamente uma levada de piano. 

Vai lá: www.dostrescinco.com/sitio

Para finalizar, é sempre bom lembrar que, como uma cena em crescimento, o rap do uruguai está sempre com artistas novos surgindo. O La Teja Pride, em entrevista à Action, explicou bem o panorama. E para complementar tudo isto, vale dar uma checada no pessoal do coletivo Quinto Elemento, que possui um podcast que divulga tudo o que aparece de novo por lá, entre outras informações bacanas.

(*) Raphael Morone integra o Coletivo Action, site especializado em cultura negra que colabora quinzenalmente com o site da Trip www.coletivoaction.com

matérias relacionadas