por Carol Ito

Skatistas buscaram inspiração nos ensinamentos da tribo Tukuya para construir pista de skate em Manaus

Manaus ganhou uma pista de skate inspirada na sabedoria indígena e no espírito colaborativo. Os responsáveis pela construção foram os skatistas Otavio Neto, Emmanuel Rezende, Henrique Imperiano, Paulinho Barata, Thomaz Dog e Maikon Quaresma, além de voluntários da comunidade.

A equipe visitou a tribo Tuyuka, que vive às margens do rio Negro, para conhecer melhor a cultura indígena da região. “Foi combinado que a tribo nos mostraria um pouco da cultura deles e nós mostraríamos o nosso trabalho”, conta Otavio. "A recepção foi louca, pedimos licença e fomos saindo do barco e entrando na maloca, foi de arrepiar." 

A visita foi recebida com rituais, músicas, danças e, em troca, a equipe falou sobre a cultura do skate, que forma uma “tribo imensa” pelo mundo. A aproximação das crianças foi natural: “Elas começaram a brincar com as rodinhas, passavam os pés e as mãos na lixa e logo estavam em cima do skate se divertindo muito”, lembra Otavio. 

LEIA TAMBÉM: Líder indígena Sonia Guajajara expõe o seu ponto de vista sobre a ocupação da Amazônia

Com essa energia, eles começaram as obras da pista inaugurada no início de outubro e construída aproveitando entulhos e materiais que iriam para o lixo. “É a maneira mais lúdica de construir, não existem regras ou técnicas, é livre como andar de skate”, reflete Otavio.

"Foram 35 dias vividos intensamente, éramos nove pessoas no primeiro dia, depois, passou para 20, 30 e assim foi crescendo com o envolvimento", explica Otavio sobre o processo de construção da pista instalada na Quadra do Passeio do Mindú. Pensar no coletivo é o caminho a seguir, assim como ocorre nas tribos indígenas:  "Pudemos dividir nossas experiências e mostrar para todos que, juntos, somos mais fortes e capazes de mudar nosso meio". 

Créditos

Imagem principal: Heverton Ribeiro

matérias relacionadas