por Cirilo Dias
Trip #231

Entre duendes de fadas nos anos 90, e em 2011 no remake da série

Lá no comecinho dos anos 90, entre duendes e fadas, uma terra encantada não esperava pelo Cirilo (lembram da música tema?). Na novela Carrossel, o menino negro, filho do carpinteiro Jesus, sofria as dores de amar Maria Joaquina, a garota loirinha e rica, filha de médicos.

Corta para 2011. O SBT anuncia um remake da série, com, claro, Cirilo e Maria Joaquina na trama novamente. Quase simultaneamente, pipoca a notícia de que o ator que interpretou o Cirilo original estava preso, acusado de formação de quadrilha e tentativa de assalto. Enquanto isso, Ludwika Paleta, a Maria Joaquina, estava linda, loira, bem-sucedida e casada com o filho do ex-presidente mexicano Carlos Salinas. Foi o suficiente para os sites e portais estamparem a foto do Cirilo mexicano, acompanhada da notícia de sua prisão.

Mas a história não foi bem assim. O Cirilo preso era o da versão argentina de Carrossel (que se chamava Senõrita Maestra), exibida apenas por lá entre 1983 e 1984. Marcelo Fabián Rodríguez era ex-policial, integrante do grupo de cúmbia romântica Los Siracusa e atualmente responde ao processo em liberdade.

Já Cirilo Rivera, o “original”, interpretado por Pedro Javier na versão mexicana (esta, sim, exibida no Brasil pelo SBT), deixou de lado a carreira de ator, é formado em ciências da comunicação e hoje trabalha no Centro de Capacitação Nacional das Artes, no México.

Enquanto isso, o novo Cirilo Rivera, interpretado pelo menino Jean Campos, segue conquistando fãs com o spin off de CarrosselPatrulha salvadora, no SBT.

*Cirilo Dias, nosso editor de mídias eletrônicas, perdeu as contas de quantas vezes foi vítima de bullying por ser xará do personagem de Carrossel

matérias relacionadas