por Luiz Filipe Tavares

Nossa musa do mês de maio dá a letra pra você curtir uma viagem a Belém do Pará

Ela é linda, talentosa e estampa as páginas e capa da Trip #210, especial Anonimato, em um ensaio que encarou careca e sem roupa. Além de tudo isso, a musa Thalma de Freitas já viajou muito o Brasil e sabe muito bem o que fazer para se divertir quando está longe de casa. Encontramos com a atriz e cantora para falar sobre o destino ideal para ela, que nem pensou duas vezes antes de indicar uma das capitais culturais mais efervescentes do Brasil, Belém do Pará.

Para onde ir: "Belém do Pará, uma cidade incrível. Nossa, que lugar maravilhoso, bem às margens do Amazonas. Lá é assim: você chega, acha um amigo, passeia, come muito e vai dançar."

Onde ficar: "Para saber onde ficar por lá, nada melhor que mandar um tweet para a Gaby Amarantos, ela vai saber indicar um bom hotel", Thalma ri, lembrando das aventuras que viveu por lá com a amiga. "Na primeira vez que fui fiquei em hotel, depois já fiquei na casa de amigos. Inclusive, quando você vai viajar, o melhor é ficar na casa de alguém. É bacana ir para um lugar onde você não conhece ninguém, mas é mais legal quando você conhece alguém local, que te leva para viver a cidade."

O que fazer: "Pra começar, tem muitos passeios. Dá pra alugar uma lancha e ir passear nos igarapés. Lá eu fui passear com o Victor Dzenk, que é um estilista de Belo Horizonte. Ele me levou pra passear por vários afluentes do Amazonas, onde tem uma série de restaurantezinhos."

Onde comer: "Esses restaurantes de comida caseira são uma loucura. A gente estava passeando de barco e viu uma senhora na janela de um dos restaurantes que estava fechado. Perguntamos se estava aberto e ela disse que não, mas que cozinharia algo para comermos. E a gente ficou lá descansando, tomando banho de rio, enquanto ela preparava o prato para a gente. Ela fez um peixe incrível! A comida de Belém, Jesus amado, é o puro sabor da Amazônia [risos]"

"Tem um festival internacional de gastronomia super importante em Belém, que acontece todo o ano. Mas as receitas que os chefs internacionais criam, ficam lá. Então a gastronomia normal, aquela do cotidiano, é incrível em Belém. Fora que tem o açaí de verdade, que é uma delícia. Tem aquele gosto de terra, que é muito vivo. Parece que você tomou energético."

Onde ir à noite:
"As festas de aparelhagem, com certeza. É que nem o funk: uma cultura de som que nem as pessoas tem na Jamaica. O som das coisas é muito bom. A gente que está acostumado com MP3 e rádio, acha que esse som presta. Mas não presta. Quando você sente o som vindo de uma aparelhagem daquelas, você sente mesmo. A música mexe com seu corpo. A música em si é empolgante, tem beat, tem melodia... Mas o som te atravessa, literalmente. Belém é muita alegria."

***

Vai lá: Passeios nos igarapés
Quando: todos os dias
Onde: Belém, Santarém e Marajó
Quanto: pacotes para todos os bolsos
Informações: Amazonstar 

Vai lá: Festival Internacional Ver-o-Peso de Gastronomia Paraense
Quando: Todos os anos, em abril
Informações: www.agenciapara.com.br

matérias relacionadas