Caminhos do Brasil

por Luiz Filipe Tavares

Grace Downey e Robert Ager venderam tudo e rodaram o Brasil e o mundo a bordo de um 4x4

Duas expedições totalizando 1426 dias na estrada, 50 países, mais de 100 paradas policiais e dois livros impecáveis com fotografias e memórias. Assim é a vida do casal Grace Downey e Robert Ager - ela brasileira, ele britânico - que vivem a bordo de um 4x4 e decidiram viver de seu sonho: conhecer o mundo e pagar as contas. Itinerantes desde 2002, quando partiu a primeira perna do projeto Challenging Your Dreams, os dois dividem dias bons e ruins na estrada, só parando para recompor as finanças e tocar os projetos antes de voltar a rodar o globo em busca dos lugares mais incríveis do globo.

Quase três anos depois de venderem todos os seus bens e cairem no mundo, o casal lançou o primeiro livro, Challenging Your Dreams – Uma Aventura Pelo Mundo. Ali contam um pouco da volta ao mundo de carro que encararam, passando por 69 fronteiras e aportando nos cinco continentes habitados. Na sequência, cruzaram o Brasil do Oiapoque ao Chuí passando pelos nossos 27 estados, percorrendo 45 mil km e torrando 5.600 litros de combustível em uma expedição que virou o mais novo livro da dupla, Traços do Brasil - Uma Jornada Fotográfica.

Como se não bastasse, a dupla ainda faz diversas palestras motivacionais e expõe seu trabalho fotográfico em galerias de todo o Brasil, sempre visando divulgar os lugares, pessoas e cultiuras que coexistem tão perto e ao mesmo tempo tão longe entre si. Conseguimos encontrar Grace parada por uns dias em sua casa e batemos um papo sobre a vida na estrada, coragem de embarcar em uma aventura como essas e os projetos futuros desse casal viajante, na entrevista que você vê abaixo.

Trip - Antes de mais nada eu tenho que perguntar onde você está, ja que vocês estão sempre viajando...
Grace Downey - É verdade [risos]. No momento nós estamos em Atibaia, parados um pouquinho desde que voltamos da última viagem. Já estamos trabalhando no próximo livro e outras coisas mais. Então, no momento - e só por um momento, estamos parados [gargalhadas].

Como é voltar a ficar parado depois de viajar tanto tempo assim? Sente falta da estrada?
Com certeza. Vontade de sair denovo não falta. Agora estamos no processo de voltar, divulgar, levantar mais dinheiro e sair novamente.

 

"Quando a gente voltou começou essa ideia de fazer um livro e compartilhar toda essa experiência que a gente tinha vivido. Decidimos fazer isso através dos livros, das palestras e das exposições. Foi daí que veio a ideia de juntar nossos objetivos, que são viajar E pagar as contas [risos]"


O que motivou o início da expedição Challenging Your Dreams? O que passou na cabeça de vocês na hora de falar: "beleza, vamos juntar tudo o que temos, vender e sair viajando"?
A primeira viagem que fizemos foi em 2002, que foi quando nós fizemos isso. Decidimos vender tudo porque era um sonho pra nós. Era nossa vontade desde pequenos. Tanto ele quanto eu sonhavamos em largar tudo pra viajar pelo mundo. Foram três anos e meio viajando. Quando a gente voltou começou essa ideia de fazer um livro e compartilhar toda essa experiência que a gente tinha vivido. Decidimos fazer isso através dos livros, das palestras e das exposições. Foi daí que veio a ideia de juntar nossos objetivos, que são viajar E pagar as contas [risos].

E como vender todas as coisas de uma vida? Qual foi o método? Porque muita gente tem vontade de fazer isso e, além de não ter coragem de fazer, acaba se perdendo no como...
Nós tínhamos uma reserva que já guardávamos com essa ideia. Não sabíamos como nem quando íamos fazer, mas já com a ideia de usar o dinheiro pra isso. Quando resolvemos realmente e colocamos um prazo, que foi quando decidimos sair, começamos a colocar as coisas à venda. E foi tudo no boca a boca, falando com os amigos. Começamos a divulgar e a vender rapidinho. Teve até algumas coisas que não conseguimos vender e acabamos doando, enfim... Vendemos o máximo de coisas que conseguimos e deixamos algumas coisas com meus pais. E tudo foi agregando, porque cada centavo que a gente levantava era mais tempo na estrada.

"Tudo foi agregando, porque cada centavo que a gente levantava com as vendas era mais tempo na estrada"

Por que ir de carro? De onde vem essa paixão pelo 4x4?
A gente sempre gostou muito de viajar de carro. E o carro dá uma liberdade muito grande, porque você pode ir pra onde quiser, na hora que quiser e ficar lá o tempo que quiser. Pode demorar uma hora ou cinco em um lugar, sem ficar dependendo de transporte e de horários. Fora que a gente transformou o carro na nossa casa. Lá tínhamos tudo. Uma barraca em cima, uma cozinha adaptada, tudo para morarmos no carro. E querendo ou não isso era até uma economia com estadia e com alimentação. Escolhemos ir de carro por essas duas questões: a praticidade de ter sua casa com você a liberdade que ele te dá. Fora que você conhece muito bem um lugar quando está de carro. A jornada de chegar até o destino também é fascinante.

Depois de uma volta ao mundo, por que escolher o Brasil como próximo destino?
Depois de viajar o mundo todo de carro, vimos que seria muito legal fazer uma viagem nos mesmos moldes no Brasil. Queríamos conhecer todos os cantinhos do país onde morávamos. Queríamos também divulgar o país, queríamos mostrar para as pessoas que é super possível viajar dentro do Brasil. Muita gente falava pra nós que lá fora era fácil e que aqui era perigoso, dizendo que não havia estradas e colocando obstáculos. Nós queríamos mostrar que é possível e tranquilo. Provamos que não é uma coisa impossível, muito pelo contrário. Aqui tem de tudo: floresta, praia, cidades históricas, desertos... É um país muito rico e a gente queria poder registrar isso através da fotografia e dos vídeos que a gente fez. Queremos inspirar as pessoas a querer conhecer o Brasil.

Dá pra escolher alguns dos lugares mais imperdíveis que vocês visitaram no Brasil?
É difícil escolher alguns, é tanta coisa [pensativa]... O Pantanal, que é a região do safari brasileiro, é um lugar incrível. Apesar de pouco explorado é muito legal. Tem estrutura suficiente para o turismo mas é enorme. Então você passa por lugares muito simples e muito confortáveis em uma mesma região. A área de Bonito também é fantástica e muito bem estruturada, com acomodações de primeiro mundo. Inclusive é um dos destinos de ecoturismo mais famosos do mundo hoje, bem bacana. Lençois Maranhenses também é uma coisa única. Mesmo a gente, que viajou bastante, nunca viu nada igual. Claro que tem outros desertos no mundo, mas perto do mar, com aquelas lagoas de Lençois, é uma coisa fascinante. É imenso, com dunas a perder de vista. Também tem o litoral da Bahia, as cidades históricas como Ouro Preto... É muito difícil escolher só alguns [risos]. Tem vários cantinhos, como o Lajedo do Pai Mateus, no Piauí também. É um lugar delicioso e meio perdido. Incrível.

"Aqui tem de tudo: floresta, praia, cidades históricas, desertos... É um país muito rico e a gente queria poder registrar isso através da fotografia e dos vídeos que a gente fez. Queremos inspirar as pessoas a querer conhecer o Brasil. "

Teve algum ponto que acabou ficando de fora da viagem por alguma questão mas que vocês gostariam muito de ter visitado?
Na verdade nós passamos por todos os estados. Em alguns deles acabamos ficando pouquíssimo tempo por causa de várias questões. Em alguns ficamos apenas dois dias. Então a gente acabou não conhecendo tanto assim. Mas tivemos uma boa noção do Brasil em geral. Claro qeu alguma coisa acaba ficando de fora, que nem a Chapada das Mesas (no Maranhão) e a Terra Ronca (em Goiás), por onde não conseguimos passar. Mas a maioria dos lugares para onde queríamos ir nós acabamos conhecendo.

Então ainda cabe uma parte dois desse livro do Brasil?
Sem dúvida! [gargalhadas]. Na verdade, o próximo projeto que vamos tocar envolve viagens mais curtas, de dois ou três meses, em regiões específicas do país. Por exemplo, na ragião do Pantanal fazer um livro só do Pantanal. passar três meses explorando a fundo essa região, fotografando, registrando a natureza, o povo, o artesanato, enfim... Depois voltar, compilar isso em livro e em formato exposição para poder divulgar a região.

Qual a melhor e a pior parte de uma viagem tão longa?
Na verdade, como era uma coisa que a gente queria muito, no geral era só coisa boa. Claro que tem algumas coisas que são difíceis, mas em nenhum momento a gente falou: "putz, quero voltar. O que eu estou fazendo aqui?". Quando ficávamos cansados ou dava algum problema, a gente tinha a liberdade de parar. Por estarmos tranquilos, escolhíamos um lugar para ficar, um camping legal com estrutura e parava. Assim recaregávamos as energias, pensávamos no que fazer e ficávamos parados, quietinhos [risos]. Isso fazia com que a gente estivesse pronto pra a próxima etapa e dava pra encarar mais uns meses. então em nenhum momento a gente pensou em desistir. Houve perrengues e momentos difíceis, mas no geral foi muito mais coisa boa do que coisa ruim.

"Foi um bom teste, isso sim [gargalhadas]. Ficar 24 horas por dia juntos, em um espaço pequeno, realmente era um teste. Ou ia ou rachava. Mas deu super certo e fortaleceu muito a nossa relação."

Como lidar como casal com a vida na estrada? A proximidade extrema atrapalhou em algum ponto a relação de vocês?
Foi um bom teste, isso sim [gargalhadas]. Ficar 24 horas por dia juntos, em um espaço pequeno, realmente era um teste. Ou ia ou rachava. Mas deu super certo e fortaleceu muito a nossa relação. Foi muito positivo. Mas nós conhecemos casais ou grupos de amigos que foram viajar e acabou dando pau. Muitos até se separaram no meio da viagem. Então a gente teve sorte de conhecer um ao outro e dar tudo certo. Nós dois queríamos fazer isso, os dois desde pequenos. Então quando nós nos conhecemos bateu. Não teve um que convencer o outro. Era uma coisa que nós dois queríamos muito. Então era difícil ter algum problema. E quando estávamos viajando era tudo entre nós. Os dois decidiam o que fazer, para onde ir... A gente briga mais quando está em São Paulo do que durante a viagem [risos]. O importante é se respeitar e ter uma convivência bacana. Graças a Deus, para nós, só fortaleceu.

Livro: Caminhos do Brasil - Uma jornada fotográfica
Autor: Grace Downey e Robert Ager
202 Páginas
Preço: R$ 85
Editora: Aleph
www.editoraaleph.com.br

fechar

Entre em contato
com a trip


fale conosco

PABX +55 (11) 2244-8747
Caixa Postal: 11485-5
CEP: 05414-012
São Paulo - SP

atendimento ao assinante

SP (11) 3512-9465
BH (31) 4063-8433
RJ (21) 4063-8482
das 09h às 18h
assinaturas@trip.com.br
 CENTRAL DO ASSINANTE 

ou se você preferir:

e-mail inválido!
mensagem enviada!
fechar

Assine


E leve ousadia, moda, irreverência,
comportamento, inspiração.
Tudo isso com coerência, profundidade
e um olhar que só a Trip tem.

trip

Desconto de 25%

11 edições
R$ 98,18
6 x R$ 16,36

Capa Conceito

assinar

11 edições
R$ 98,18
6 x R$ 16,36

Capa Trip Girl

assinar

trip

Grátis um super relógio

22 edições
R$ 261,80
6 x R$ 43,63

Capa Conceito

assinar

22 edições
R$ 261,80
6 x R$ 43,63

Capa Trip Girl

assinar
fechar