por Carlos Sarli
Trip #185

Conjunto de mudanças dá nova dinâmica ao mundial de surfe, mas a grana ainda é curta

Mudanças na pontuação, no critério de julgamento e nas regras de classificação dão nova dinâmica ao mundial de surfe, mas grana ainda é curta.

Jamie O’Brien é um dos melhores surfistas em atividade. Avesso às competições, em janeiro ele venceu a melhor prova disputada este ano pelo ASP One Ranking, que soma os resultados do WQS e do World Tour. Só competiu porque a etapa foi em Pipeline, Havaí, sua pista de treino preferida, em ondas de 10 pés. Mas, se resolvesse correr o circuito, os pontos conquistados no WQS cinco estrelas não o ajudariam muito.

Outras duas provas do Qualifying foram disputadas no Brasil. Uma de seis estrelas no Ceará e outra seis estrelas “prime” em Fernando de Noronha. A premiação em dinheiro de ambas é igual, US$ 145 mil, mas na primeira o campeão somou 3.000 pontos e na segunda 6.500, por valorizar a locação na qual as ondas permitem melhor desempenho e impõem mais desafio aos competidores.
O americano C. J. Hobgood ficou com o título em Noronha, ele nunca havia competido em provas do WQS no Brasil e veio motivado pelo ranking unificado. Os pontos conquistados com a vitória correspondem a um terceiro lugar numa prova do World Tour, um resultado que deverá estar entre seus oito melhores, que definirão o ranking ao final da temporada.

Na próxima semana começa a primeira das dez provas do World Tour 2010. A etapa na Austrália distribuirá 10.000 pontos, US$ 400.000 em prêmios, e o vencedor pode não assumir a ponta do ranking. Assim, na prática, as novas regras serão percebidas, mas parece claro que o circuito será mais intenso desde o início.
Para aqueles que se garantiam na elite passando uma ou duas baterias por competição, a coisa vai mudar. Ao final da quinta prova do ano, a do Taiti, a elite será reduzida de 45 para 32 atletas. As provas continuarão sendo disputadas por 48 surfistas, dez deles vindos do One Ranking, além de seis convidados.

O critério de julgamento também foi revisto para melhor refletir o momento do esporte. São mudanças positivas, as provas de seis estrelas e as “prime” do WQS ganham importância para atletas da elite e as menores servirão de preparação para os novatos. Só a mudança no valor das premiações é que ainda ficou devendo.

JOGOS DE INVERNO
Shaun White confirmou o favoritismo e foi bicampeão olímpico no half pipe. Já a tricampeã dos XGames Lindsey Jacobellis não chegou à final do boardercross, prova que Isabel Clark ficou em 19º. Jhonatan Longhi representa o Brasil no slalom gigante no domingo.
 
SAQUAREMA PRA INICIANTES
A 11ª edição do Rip Curl Grom Search começa amanhã na praia fluminense, com provas mirim e feminina sub 16, iniciantes sub 14 e grommets sub 12.
 
SURFE DE CANOA
O Circuito Brasileiro de Canoagem Onda começa hoje e vai até domingo em Barra Velha, SC.

matérias relacionadas