por Luiz Filipe Tavares

Criador do primeiro super herói das histórias em quadrinhos completa um século de história

Nascido Leon Harrison Gross em um dia como hoje há 100 anos atrás, Lee Falk é um dos mais importantes e influentes criadores e roteiristas dos quadrinhos tendo criado os lendários personagens O Fantasma e Mandrake, sendo o segundo amplamente considerado o primeiro super-herói da história das revistas em quadrinhos. Neste dia 28 de abril, Lee Faulk estaria completando um século de vida, com um currículo invejavel tanto nas HQs quanto no teatro, onde chegou a dirigir atores de nome como Marlon Brando, Charlton Heston, Paul Newman, Chico Marx e Ethel Waters.

Lee nasceu em St. Louis, no estado americano do Missouri e aos poucos foi descobrindo a paixão pelos quadrinhos. No começo dos anos 30, ele já havia criado o seu personagem mais seminal, o mágico Mandrake, que foi publicado pela primeira vez no dia 11 de junho de 1934. Logo nas primeiras edições da tira, Phil Davis assumiu as ilustrações, deixando Falk livre para se concentrar nos roteiros. A parceria durou até 1964, quando Davis morreu e foi substituído por Fred Fredericks

O sucesso do astuto hipnólogo de Falk foi imediato. Apenas 5 anos depois da publicação da primeira tira, Mandrake e seu fiel escudeiro Lothar já foram para as telas do cinema com uma série de 12 episódios com Warren Hull no papel de Mandrake e Al Kikume como o ajudante Lothar. Em 41, Mandrake já tinha um show no rádio americano que ficou no ar até 1942. Nos anos 80, o personagem finalmente chegou à TV na série Defensores da Terra, que tinham como estrelas Lothar, Mandrake, Flash Gordon e o Fantasma.

Falando em Fantasma, este personagem de Falk também está na galeria dos mais longevos heróis dos quadrinhos. Publicado pela primeira vez em fevereiro de 1936, o mascarado da fantasia púrpura rapidamente ascendeu ao panteão dos grandes heróis das HQs com a história de Kit Walker, o 21º de uma linha de combatentes do crime que começara em 1536. Com sua base no país africano fictício de Bengalla, O Homem que Não Podia Morrer não tinha nenhum super-poder, confianto em sua astúcia e na reputação de homem imortal conseguida com a passagem do título de Fantasma de pai para filho, geração para geração.

Além das HQs do Fantasma, Falk escreveu diversas novelas centradas na vida do personagem. A primeira saiu em 1936 e a última em 1947. Cruzando as fronteiras entre as artes, o Fantasma chegou aos cinemas como uma mini-série em 15 episódios no ano de 43. Em 1996, como Billy Zane no papel de Kit Walker e participação de Catherine Zeta-Jones e Kirsty Swanson, com aceitação reduzida entre os fanáticos pelos quadrinhos de nosso autor centenário. O Fantasma apareceu até na animação Yellow Submarine, ao lado daqueles famosos quatro cabeludos de Liverpool . 

No teatro, Falk encontrou uma nova paixão a partir dos anos 50. Ele produziu pelo menos 300 peças durante toda sua vida, tendo dirigido mais de 100. Ele também trabalhou como dramaturgo escrevendo 12 peças autorais, entre as quais duas eram os musicais Happy Dollar e Mandrake the Magician. Os elencos de suas peças incluiram, além de Brando, Heston e Newman citados acima, Celeste Holm, Constance Moore, Basil Rathbone, Ezio Pinza, James Mason, Jack Warner, Shelley Winters, Farley Granger, Eve Arden, Alexis Smith, Victor Jory, Cedric Hardwicke, Eva Marie Saint, Eva Gabor, Sarah Churchill, James Donn, Eddie Bracken, Ann Corio e Robert Wilcox.

Lee Falk morreu em um hospital de Nova York  em março de 1999, aos 88 anos de idade. Ele escreveu histórias do Fantasma e do Mandrake literalmente até o dia de sua morte. Em seus últimos meses de vida, mesmo tendo de usar uma máscara de oxigênio, ele seguiu ditando as histórias para sua esposa Elizabeth Moxley, que terminou de escrever a última história do Fantasma criada por Lee, deixada interminada depois de sua morte. E cem anos depois de seu nascimento, com dois personagens que permaneceram por mais de 70 anos em suas mãos, seu legado continuará por aqui, cada dia mais forte e mais importante para o mundo das histórias em quadrinhos.

Logo abaixo você vê uma galeria com tirinhas selecionadas desses dois personagens clássicos das HQs, que mesmo depois de três quartos de século, continuam povoando o imaginário de centenas de milhares de fãs de quadrinhos ao redor do mundo.

matérias relacionadas