por J.R.Duran
Trip #198

JR Duran: ”Aprecio as pessoas que preferem perder um amigo, mas não perdem a piada”

Uma boa piada requer coragem e inteligência. Aprecio as pessoas que preferem perder um amigo, mas não perdem a piada. Insultante é quem não consegue rir de si mesmo

 

A única coisa que diferencia o ser humano dos animais, dizem, é que nós temos sentido de humor e eles não. Os cães ladram, a caravana passa, e, se as hienas riem com certeza, elas não sabem do quê. Confesso que aprecio as pessoas que preferem perder um amigo, mas não perdem uma piada.

Tento achar em cada alfinetada uma maneira de achar graça na desgraça. E, acima de tudo, não me esqueço de que o fato de ficar ofendido não quer dizer que se tenha razão. A verdade dói e a boa piada quando certeira também porque infelizmente é um reflexo da realidade. Caso contrário, a frase disparada com graça e apontada contra o ego da vítima passa a ser outra coisa: uma grosseria, uma estupidez. O problema é que o sentido do humor é relativo, mais relativo do que o flúor**. E o que para uns é engraçado para os outros é insuportável.

Na Idade Média, os bufões na corte eram indispensáveis. Eram os únicos que podiam dizer a verdade ao rei e a sua sinceridade os tornava confiáveis. Mas a vida do bufão não era fácil. Não foram poucos os que pagaram caro pelas suas brincadeiras. No século 15 o rei Eduardo IV, da Inglaterra, irritado com John Scogin, seu bufão favorito, exilou o engraçadinho e o condenou à pena de morte, caso ele pisasse novamente no país. O bufão não teve dúvidas; cruzou o canal, foi para a França, encheu seus sapatos de terra e voltou para a Inglaterra. Logo na chegada foi preso pelas tropas do rei. Scogin não teve dúvidas: alegou que seus pés não estavam pisando no país, mas na França. Sobreviveu ***.

Uma boa piada requer coragem e inteligência. Talvez seja por isso que existam tantas piadas ruins. Mas nem por isso podem ser consideradas um insulto. Insultante é quem não consegue rir de si mesmo a não ser, é claro, que seja uma hiena. Tudo isso para dizer uma coisa só: tenho saudades da época em que o correto era ser politicamente incorreto.

**O flúor, em sua forma biatômica (F2), é o mais relativo de todos os elementos. Pode ser corrosivo e causar fortes queimaduras na pele.

***Mais historias de bufões estão no livro Fools are everywhere, de Beatrice K. Otto (University of Chicago Press, 2001).

*J.R. Duran, 55, é fotógrafo e escritor. www.twitter.com/jotaerreduran

matérias relacionadas