por Luiz Alberto Mendes

Nada

 

Na verdade não consegui

Atingir nenhum objetivo

De todas as metas desenhadas

E redesenhadas.

Nem cheguei nem a voar.

O vazio sempre foi onde morreram

Todas ilusões e ideais.

Nem bandido consegui ser;

Não era suficientemente mau,

Então não passei de um ladrãozinho.

As minhas lágrimas

Acabei tendo que chorá-las sozinho.

Sinto-me preso à dúvidas

Sem certeza de coisa alguma

E desdenhando

Aqueles que me cercam de "verdades"

Para não ter que enfrentar

A liberdade, esse espaço em aberto

Povoado por sonhos prisionais.

                          **

Luiz Mendes

07/10/2014.

matérias relacionadas