Mindfulness no MIT

por Ronaldo Lemos
Trip #253

Há quem diga que as práticas de autoconhecimento, meditação e mindfulness são 
o substituto contemporâneo para a psicanálise

A essa altura não deve ser mais surpreendente para ninguém o fato de o Vale do Silício nos EUA ter tido sua origem ligada à contracultura dos anos 60. Movimentos como o dos hippies, cenas como a da new age e conceitos como a Era de Aquário, sem contar o consumo de alucinógenos, foram componentes importantes para o florescimento da tecnologia digital.

Basta lembrar o papel de Timothy Leary, escritor e psicanalista que estudou (e consumiu) a fundo o LSD. Ele é considerado um pioneiro da ideia de realidade virtual, e acreditava que a tecnologia seria capaz de criar novos ambientes artificiais para a existência humana. Grandes empresas de tecnologia, como Microsoft e Google, acham que ele estava certo. Todas apostam em interfaces de realidade virtual e realidade aumentada. Leary estaria orgulhoso do seu legado hoje.

Quem acha que esse aspecto “esotérico” da tecnologia não é mais tão relevante deve olhar com mais atenção. Há uma grande onda que não fica nada a dever à new age dos anos 60 relacionada ao universo da tecnologia nos dias de hoje. Sabe quais são algumas das atividades mais procuradas no MIT, o Instituto de Tecnologia de Massachusetts? Os cursos de meditação, mindfulness e autoconhecimento (awareness). Por exemplo, um desses cursos é ministrado por ninguém menos que Joi Ito, o diretor do invejado MIT Media Lab, um dos mais importantes centros de inovação do planeta. O curso se chama Princípios do Autoconhecimento e trata de temas como “fronteiras entre o eu e o outro”, “não dualidade” e “prazer e dor”. Na bibliografia há textos de Dalai Lama, Martin Buber e Hegel. O curso está sempre lotado.

Há quem diga que as práticas de autoconhecimento, meditação e mindfulness são o substituto contemporâneo para a psicanálise. Em um mundo cada vez mais complexo, a pressão sobre o indivíduo segue aumentando exponencialmente. Em face disso, as ferramentas da psicanálise mostram-se insatisfatórias. Entre outras razões, porque seu “tempo” vai se tornando lento demais para o ritmo da vida contemporânea.

Inovação e autoconhecimento
Esse cenário deveria despertar em nós um olhar mais generoso para atividades similares que acontecem aqui no Brasil. Nosso país sempre foi e continua a ser uma potência espiritual. Há cidades místicas espalhadas por todo o país, onde o autoconhecimento é buscado: São Lourenço e São Tomé das Letras, em Minas Gerais; Visconde de Mauá, no Rio de Janeiro; Sete Cidades, no Piauí; Serra do Roncador, no Mato Grosso; e assim por diante. Ou o caso emblemático de Alto Paraíso, em Goiás. Lá, o guru Sri Prem Baba está ajudando a construir uma cidade sustentável dedicada ao autoconhecimento, em parceria com a consultoria McKinsey e outras instituições.

São lugares que atraem pessoas do mundo todo. Muitas delas talentos globais, ligados diretamente à tecnologia e à inovação. Esse circuito deveria ser apoiado, incentivado e reconhecido. O fato de termos potência espiritual pode nos ajudar a construir o caminho para a inovação.

fechar

Entre em contato
com a trip


fale conosco

PABX +55 (11) 2244-8747
Caixa Postal: 11485-5
CEP: 05414-012
São Paulo - SP

atendimento ao assinante

SP (11) 3512-9465
BH (31) 4063-8433
RJ (21) 4063-8482
das 09h às 18h
assinaturas@trip.com.br
 CENTRAL DO ASSINANTE 

ou se você preferir:

e-mail inválido!
mensagem enviada!
fechar

Assine


E leve ousadia, moda, irreverência,
comportamento, inspiração.
Tudo isso com coerência, profundidade
e um olhar que só a Trip tem.

trip

Desconto de 25%

11 edições
R$ 98,18
6 x R$ 16,36

Capa Conceito

assinar

11 edições
R$ 98,18
6 x R$ 16,36

Capa Trip Girl

assinar

trip

Grátis um super relógio

22 edições
R$ 261,80
6 x R$ 43,63

Capa Conceito

assinar

22 edições
R$ 261,80
6 x R$ 43,63

Capa Trip Girl

assinar
fechar