A embaixadora dos poderes do sono que mudou de vida em nome da saúde

Mahine Dorea interrompeu um período “conectada 24 horas” para se transformar numa espécie de embaixadora dos poderes do sono

 

Quando queremos dizer que determinada pessoa é muito ativa, animada, cheia de iniciativa, um clichê é recorrente: “Fulano não para”. Pois Mahine Dorea resolveu contrariar o chavão, na certeza de que, às vezes, é preciso parar para então seguir adiante. É a ideia que (não) move o Pausadamente, espaço fundado pela baiana de 34 anos radicada no Rio de Janeiro em parceria com seu marido, Fernando. Lá, em pleno centro da capital fluminense, é possível agendar massagens, terapias relaxantes (como reflexologia) ou simplesmente fazer um power nap – 20 a 40 minutos de sono durante o dia, um pit stop capaz de diminuir os níveis de estresse, estimular a criatividade e cortar a ansiedade. “Hoje em dia o 'horário comercial' não existe mais. As pessoas vão para casa depois do trabalho, mas não se desligam. É preciso ter um momento para se desconectar”, afirma a criadora do Pausadamente.

Mahine já esteve no grupo dos “conectados 24 horas”. O Pausadamente, fundado em 2009, foi a maneira que encontrou de transformar seu cotidiano, e de quebra ajudar outras pessoas a fazer o mesmo. Nascida em Salvador, mudou-se para o Rio há dez anos para trabalhar como advogada. Cinco anos de trabalho “praticamente sem pausa” a deixaram, em sua própria definição, “saturada”. Durante um período sabático em que viajou pela Europa e pela Ásia, entendeu que, às vezes, é preciso dormir para “despertar” para a vida. “Passei um tempo na Espanha e a cultura da sesta me marcou muito. As pessoas dão uma parada estratégica durante o dia e retomam as atividades com mais disposição”, conta. Na Tailândia, impressionou-se com a variedade e a popularidade dos lugares para relaxamento, oferecendo massagens e espaços para sonecas. Ao conhecer o conceito do power nap, a pausa para um sono rápido durante o horário de expediente, que no fim da década passada começou a se espalhar por metrópoles como Tóquio e Nova York, Mahine voltou para o Rio disposta a fazer o carioca pisar no freio. “Quando se fala em mudança de hábitos, discute-se muito a alimentação e a prática de exercícios, mas o sono é subestimado”, diz. “Dormir bem e relaxar mais beneficia a memória, o lado criativo do cérebro, aumenta a produtividade e melhora o relacionamento interpessoal”, defende Mahine.

 

"Quando se fala em mudança de hábito, discute-se alimentação e exercícios, mas o sono é subestimado”

 

O negócio virou sucesso, com uma clientela puxada por executivos estressados em busca de preciosos minutos de relaxamento. Empresas como o BNDES, a Comissão de Valores Mobiliários do Rio de Janeiro, o fundo de pensão Petros e a Agência Nacional do Petróleo mantêm convênios com o Pausadamente; seus funcionários ganham descontos para utilizar os serviços do espaço. Durante a visita da Trip, senhores engravatados e moças envergando sóbrios terninhos adentraram o espaço, em busca de massagens ou uma simples soneca. Mas não só eles. “Advogados, funcionários públicos, pessoas em preparação para concursos públicos... Mesmo pessoas que têm horários bem regrados, como bancários, agendam um tempinho para descansar”, detalha Mahine. A própria dona do espaço agora vive um momento não raro associado ao estresse e ao desgaste físico e mental: há oito meses deu à luz sua primeira filha, Nina. Com a transformação que operou em sua própria vida, tem muito mais tempo para passar ao lado do bebê. “Fundei o Pausadamente pensando numa atividade que iria me fazer feliz – e contribuir para que outros pudessem se reinventar também”, diz ela. “É incrível ver as pessoas chegarem ofegantes, com o semblante tenso, e saírem com outra fisionomia. É a possibilidade de dar um reboot em si mesmo.”

matérias relacionadas