Em nome da honra

A nobreza e a moral que admiro e louvo estão naqueles que buscam ser superiores a si mesmos a cada momento de suas vidas

Ao pensar no Japão, automaticamente penso em honra e disciplina. Para os japoneses, como para mim, a dor é menos importante do que o orgulho – segundo o código dos samurais, o Bushido, a honra, o orgulho pessoal e a moral são as atitudes mais valorizadas em um homem correto. Tenho profunda admiração por esse povo com valores tão diferentes dos nossos. Aqui, morrer é uma desgraça; as pessoas choram, ficam tristes e sofrem quando um ente querido se vai. Mas é muito mais pela falta que essa pessoa fará na vida dos que ficam do que pela pessoa morta em si. Por lá, morrer é coisa mais simples, chega a ser celebrada.

Há até quem se mate praticando o seppuku [mais conhecido no Ocidente pelo termo haraquiri]. A ação drástica não é vista como uma fraqueza moral, praticada por um cara que é limitado, louco ou não suporta mais a vida. É sempre por uma questão de honra e ninguém fica com dó, achando que ele fez besteira ou algo parecido. Todos o respeitam. Não é incomum um político de lá que tenha sido pego em flagrante de corrupção cometer o seppuku, um caminho para evitar que o seu erro recaia sobre a sua família.

Não há como comparar, a cultura deles é milenar. Mas eles nos escolhem quando decidem deixar o próprio país; é sabido que o Brasil tem a maior colônia japonesa do mundo.

LEIA TAMBÉM: Todos os textos de Luiz Alberto Mendes

É um povo bastante diferente do nosso. A maioria já nasce budista, ciente de que teve outras vidas, de que nada se encerra na morte física. Com esse princípio, encaram a vida como uma escola de evolução. São perfeccionistas, delicados e extremamente sutis em sua arte, que muitas vezes combina a natureza a pensamentos filosóficos.

Colou, tá novo

Por causa dessa forma de agir e pensar, dão enorme valor ao belo e ao antigo. Emendam com solda de ouro xícaras e louças antigas que se quebram; agregam valor a algo que havia se desvalorizado, como se lhe dessem uma vida nova, exuberante, bonita e muito valorizada. Fazem dos cacos uma peça de arte, um tesouro de família.

Acredito que eles valorizam algo que nós, brasileiros, ainda não valorizamos: as raízes. Somos um caldeirão genético de múltiplas raças, mas temos pouca relação com nossas raízes. Lembram dos kami-kazes, japoneses que se lançavam com aviões de tanque cheio contra os navios dos Aliados na Segunda Guerra Mundial? Uma bomba guiada por um sujeito que sabia que seria despedaçado. E faziam isso pelo país. Eram sujeitos dispostos a morrer pelo imperador e, nesse ato, fazer o máximo estrago aos inimigos. Afundaram vários navios e colocaram o oceano Pacífico em pânico, além de terem feito os americanos entenderem o quanto seria difícil invadir o Japão. Provavelmente teria sido uma guerra sangrenta de porta em porta. A poderosa honra e a disciplina dos japoneses eram superiores às dos americanos, embora estes tenham ganhado a guerra. E foi por isso que a bomba atômica foi aprovada, uma covardia que matou milhares de japoneses.

Sou admirador do sentido de certas palavras, e a que me é mais cara é “honra”, que eu associo imediatamente ao Japão. Eu me apaixonei pelo termo e seu sentido, de nobreza e moral, na prisão. O código dos prisioneiros não está escrito – mas complexo! –, e eu o estudei a fundo. E pior: quis ser um homem honrado, de nobres ideais, atuações e cheio de moral, mesmo estando preso. Eu nem acho que consegui ser um preso exemplar, mas, aqui fora, acredito que estou indo bem.

Créditos

Imagem principal: OBRA BARRÃO / FOTO JULIO CALLADO

OBRA BARRÃO (ORIENTE, 2008. PORCELANA E RESINA EPÓXI. 36 X 40 X 40 CM) FOTO JULIO CALLADO

fechar

Entre em contato
com a trip


fale conosco

PABX +55 (11) 2244-8747
Caixa Postal: 11485-5
CEP: 05414-012
São Paulo - SP

atendimento ao assinante

SP (11) 3512-9465
BH (31) 4063-8433
RJ (21) 4063-8482
das 09h às 18h
assinaturas@trip.com.br
 CENTRAL DO ASSINANTE 

ou se você preferir:

e-mail inválido!
mensagem enviada!
fechar

Assine


E leve ousadia, moda, irreverência,
comportamento, inspiração.
Tudo isso com coerência, profundidade
e um olhar que só a Trip tem.

trip

Desconto de 25%

11 edições
R$ 98,18
6 x R$ 16,36

Capa Conceito

assinar

11 edições
R$ 98,18
6 x R$ 16,36

Capa Trip Girl

assinar

trip

Grátis um super relógio

22 edições
R$ 261,80
6 x R$ 43,63

Capa Conceito

assinar

22 edições
R$ 261,80
6 x R$ 43,63

Capa Trip Girl

assinar
fechar