por Rafael Antunes

Fotógrafo curitibano viaja o Brasil clicando ensaios nus para mulheres do país inteiro

Pouca gente percebeu na hora. O carro parou no meio da rua e de dentro desceu a bela morena nua. Ela caminhou ante a luz do veículo, fez algumas poses e logo correu de volta para o automóvel, que saiu em disparada. A avenida era uma das mais movimentadas de Curitiba, a Vicente Machado, onde jovens curtiam uma noite de sábado na calçada em frente aos bares. O alvoroço no momento foi pouco, mas a cena foi filmada e um vídeo de nove segundos logo se tornou viral em aplicativos de mensagens.

Apesar de todo o rebuliço ao redor da “Peladona de Curitiba”, como ficou conhecida, ela nunca foi identificada. Até mesmo sites de notícias entraram na onda. Teria surtado ou pagava aposta? Nada disso. Horas depois, a suspeita de alguns se confirmou: o episódio fora devidamente planejado e faz parte do projeto NuMondo, do fotógrafo curitibano Léo Maceira, de 25 anos.

O NuMondo reúne, normalmente, fotografias de mulheres emolduradas pela natureza. Era a primeira vez que invadia uma cidade. Quando Maceira postou as imagens da curitibana no Instagram, centenas de pessoas se manifestaram — desde quem acusava, fotógrafo e fotografada, de atentado ao pudor até os que parabenizavam a ousadia e a beleza dos cliques. No mesmo dia, ganhou 5 mil novos seguidores. E dá de ombros para as críticas. “Hoje em dia é só assistir à novela que você vê mais pornografia do que no meu trabalho”, diz.

A repercussão foi publicidade para o curitibano, que hoje paga suas viagens pelo Brasil com o dinheiro que ganha produzindo novos ensaios e dando workshops. Em cada cidade que chega, divulgadas sempre pelos Instagram, já tem agendado horários com mulheres interessadas em ter fotos nuas. O que se vê no feed de Maceira é apenas um pedaço do trabalho, usado para mostrar seu olhar – a maior parte das imagens ficam com as fotografadas, pelas quais elas pagam R$ 800.

A empreitada começou em 2014, quando Maceira, que havia voltado de uma temporada de quatro anos jogando futsal na Itália, concluiu os cursos de cinema e fotografia em Curitiba, botou uma mochila nas costas e caiu na estrada. Queria viajar o mundo sem dinheiro, apenas com caronas e dormindo na casa de pessoas que encontrasse por aí. Em Ouro Preto, Minas Gerais, conheceu uma garota que soube do passado dele como fotógrafo de ensaios sensuais e quis fazer umas fotos nua. Na falta de instalações adequadas, acabaram na cachoeira das Andorinhas, o cenário que protagoniza o primeiro post do @NuMondo, em fevereiro de 2014.

De lá para cá foram mais de duzentas mulheres fotografadas e inúmeros pedidos diários para novos ensaios vindos de todos os cantos do país.

Maceira já tem o luxo de escolher qual será o próximo destino.

As viagens começam e terminam em Curitiba, onde o fotógrafo vive. E se por um acaso você o encontrar por aí, ou arriscar uma investida inbox para tentar descobrir a identidade da bela e misteriosa curitibana, melhor deixar a curiosidade de lado e curtir as fotos. Nem mesmo os amigos da moça conseguiram confirmar quem é a dona das belas curvas que passearam pela noite da Vicente Machado. “Ela ficou feliz com o resultado das fotos e não tem nenhuma vontade de ser reconhecida”, afirma Maceira, que segue na busca por todas as belezas do mundo.  

Vai lá: @NuMondo

Créditos

Imagem principal: Léo Maceira/Divulgação

matérias relacionadas