por Daniel Tamenpi

O publicitário que largou tudo e foi viver de música na Austrália viajando por todo o país

 

Conheça a história de Fernando Rensi, um redator publicitário que largou tudo pela música e atualmente mora na Austrália fazendo shows com sua banda de rock em lugares bem atipicos.

Conte pra gente como essa história começou?
Nos anos 90 eu tocava numa banda de cover juvenil de São Paulo. A gente tocava toda semana no Bexiga. E sempre enchia! Devido a problemas, acabei saindo da banda e ela acabou. A partir daí, coloquei na minha cabeça que seria uma "pessoa normal". Resolvi levar a sério a faculdade e me tornar um "profissional de respeito". Durante 8 anos parei completamente com a música. Tentava me convencer de todas as maneiras que aquilo não era pra mim. Resumindo: tranquei o sonho dentro da gaveta e joguei a chave fora. Anos depois, após abrir minha própria agência de comunicação, ficou claro que não era mais aquilo que eu queria para a minha vida.

Então a música voltou?

Não tinha jeito, a chama ainda estava acesa. Me desliguei da tal agência de propaganda que tinha acabado de abrir e voltei a estudar bateria. Lutei durante muitos anos para tentar fazer outra banda do nível daquela que eu tinha aos 18 anos. Neste período, foram anos e anos de tentativas frustradas! Como a grana estava curta, voltei a trabalhar com propaganda, mas minhas ambições como publicitário ja eram muito menores. Justamente por isso, acabei sendo demitido.

E a Austrália apareceu para salvar sua vida?
A idéia da Austrália veio em uma intuição. Um dia indo dormir, alguns segundos antes de cair no sono, veio uma intuíção absurda, simplesmente do nada, me dizendo: Fernando, vá para a Austrália! Na época, eu não tinha nenhuma intenção de sair do país, muito menos de ir a algum lugar do tipo da Austrália. Aquilo me pareceu uma grande loucura. Mas como a coisa foi muito "forte", resolvi pelo menos "testar". Bom, a partir daí, para minha surpresa, tudo começou a se "encaixar". Muitas coincidências começaram a acontecer, como se o Universo dissesse: é isso mesmo, garoto, vá para a Austrália!

E como surgiu a banda e esses shows em lugares atipicos?
Então, depois de quase um ano morando em Sydney, o máximo que eu tinha conseguido era tocar em uma banda de reggae chamada "Ziggy and the Wild Drums". Um belo dia, um cara me liga, perguntando se eu não estava interessado em tocar em uma banda que estava indo excursionar por seis meses no oeste da Austrália. Funciona assim: nós temos uma agente que mora em Perth, capital de WA (Western Australia). Ela marca os shows e a gente vai! Somos em quatro: eu, um baixista, um guitarrista/cantor e a mulher dele. Viajamos em duas vans: eu e o baixista em uma, o cantor e a mulher na outra. Tocamos em média 3 vezes por semana, geralmente no mesmo local/cidade, quando temos comida e acomodação inclusa. Nos outros dias estamos viajando, para chegar ao próximo "destino". Dormimos na van em média 4 noites por semana e acampamos no deserto. Wa é o maior estado em extensão da Austrália, equivalente a 1/3 do seu território. A população, porém, é de apenas 10%. Ou seja: é muito espaço e pouca gente. Diante disso, temos que viajar grandes distâncias para chegar ao local dos próximos shows. As vezes isso chega a mais de mil km, que costumamos dividir em dois ou três dias de viagem. A gente viaja para onde o dinheiro esta! WA vive basicamente da extração de minérios e pedras preciosas. Por isso, existem muitas minas por aqui. E minas pagam bem! É claro que, no meio disso, tocamos em pubs, barzinhos, etc, etc. Mas muito frequentemente vamos a estas "minas". São locais no meio do nada, onde são construídos pequenos "vilarejos" para abrigar os trabalhadores. Trata-se de uma infra-estrutura básica para que as pessoas possam morar e trabalhar. E é nestes lugares que a gente toca! Pouquíssimas bandas tem a "coragem" de fazer isso, pois, como se pode imaginar, são áreas muito remotas, de difícil acesso. Tocamos em diversos locais de predominância aborígene, onde eles são "maioria". Trata-se de um povo extremamente pacífico que, infelizmente, está tendo que engolir a cultura ocidental na marra. Devido a esta "adaptação" forçada, vivem a margem da sociedade, frequentemente com sérios problemas de drogas e alcolismo. A Austrália tem apenas 200 anos. Esse povo ficou quase 80 mil anos sem nenhum contato com o "homem branco". Agora, infelizmente, sofre as consequências de ter que engolir tudo isso. No momento, estamos "estacionados" em uma cidade mineiradora chamara Kalgoorlie. Trata-se, segundo consta, da maior mina de ouro do hemisfério sul. Recentemente estive lá para conferir: é realmente assustador. Moro no andar de cima de um pub (que costumava funcionar como um hotel) e tenho um quarto só pra mim! O pub chama-se The Rock Inn e está prestes a comemorar 110 anos de idade. Provavelmente a mesma idade da mina de ouro.

matérias relacionadas