por Felipe Pedroso

Fascinada pelo sombrio, a artista, designer e taxidermista britânica Mia Jane-Harris faz arte abstrata com fragmentos de corpos em decomposição

A morte pode ser bonita - esse é um dos pressupostos no trabalho da artista, designer e taxidermista britânica Mia Jane-Harris. Fascinada pelo sombrio e pelo mistério, ela consegue dar um frescor a essa temática tão batida, que geralmente transita entre o macabro e o assustador. A inspiração em transmitir um novo olhar sobre o mórbido vem justamente do medo da artista em morrer, que utiliza da arte e da taxidermia para supera-lo e assim expressar a sua visão peculiar sobre o assunto.  

Em sua série Beaultiful Corpse (algo como Seu Cadáver é Bonito em tradução livre), cria deslumbrantes fotografias em closes de cadáveres humanos - amostras médicas expostas em coleções de museus da Medicina e Ciência. O resultado é surpreendente e as partes anatômicas destacadas em cada quadro fotográfico mais se assemelham a produções de arte abstrata do que a fragmentos de corpos em estado de decomposição.

O intuito de Mia, é que as pessoas ao observarem sua obra, percebam que conceitos pré-estabelecidos culturalmente podem ser desmontados e desconstruídos, onde a morte pode facilmente ser bela se olhada por outro ângulo. 

Vai lá: http://www.mia-janeharris.co.uk/

(*) Felipe Pedroso é colaborador do blog de arte e cultura BLCKDMNDS.

matérias relacionadas