14 pessoas foram homenageadas e outras 800 saíram do Auditório Ibirapuera transformadas

Na emocionante cerimônia que comemorou cinco anos de prêmio transformadores e 25 anos de trip – no dia 26 de outubro, em São Paulo –, 14 pessoas notáveis foram homenageadas, e outras 800 saíram do Auditório Ibirapuera transformadas

Da crueza à beleza
A realidade crua que nos cerca muitas vezes incomoda. Para alguns, o incômodo inspira uma ação, que torna o real mais belo. A esse processo chamamos de transformação. A essas pessoas chamamos de transformadores. Saiba como foi a festa de premiação dessas figuras notáveis 

Quando o fundo do palco do auditório Ibirapuera foi aberto, expondo ao público a magnífica visão do parque ali atrás, já era madrugada de quinta-feira, dia 27 de outubro. Mas o auditório de 800 lugares continuava lotado, e a plateia seguia vidrada no foco de luz sobre o palco por onde haviam passado, nas últimas duas horas, histórias quase inacreditáveis de heróis em carne e osso, que ali pisaram e deixaram sua marca para sempre.

A visão do parque que, de repente, invadiu o palco surpreendeu e entusiasmou até o cantor e compositor Luiz Melodia, que naquele momento preenchia a noite ao lado das cantoras Barbara Eugênia, Andreia Dias e do compositor e cantor Wilson das Neves. Repetiam, juntos, o refrão de “Magrelinha”, de sua autoria: “No coração, no coração do Brasil!”. Foi o clímax de uma noite memorável, que marcou a quinta edição do Prêmio Trip Transformadores e o aniversário de 25 anos da revista e da editora Trip.

Poucos minutos antes, a mesma plateia estava de pé, em êxtase, aplaudindo em uníssono o italiano Cesare La Rocca, fundador do Projeto Axé, o último a receber a homenagem, das mãos de Marcio Utsch, presidente da Alpargatas. Tocado pelo que vira e ouvira ao longo da noite, Cesare agradeceu com a mesma expressão que ouviu do primeiro menino de rua recuperado pelo Projeto Axé: “Valeu!”. Mas, antes de deixar o palco, ovacionado, deixou uma provocação. “A criança é o axé, a energia mais preciosa de uma nação. Eu queria que cada um, ao voltar para casa, pensasse sobre o que estamos fazendo com nossas crianças.”

Foi assim, entre a crueza da imperfeição que nos cerca e a beleza da atitude que se dispõe a mudá-la, que o público navegou pela noite, guiado pelo ator Lee Taylor, mestre de cerimônias do prêmio pelo terceiro ano seguido.

Impossível factível

As fortes emoções, marca registrada das cerimônias de entrega do prêmio, já haviam sido antecipadas no início da noite, por Paulo Lima, editor da Trip. “Este evento, que já merece ser chamado de movimento, é baseado nessa magia que rola aqui todos os anos, quando os homenageados começam a contar as decisões que tomaram na vida e a maneira como resolveram usar seu tempo nesta breve passagem. Sairemos daqui inspirados, transformados e prontos para refletir sobre o que a gente está fazendo com o nosso tempo, nossa energia, nossos melhores ativos nessas nossas existências.”

Para não deixar dúvidas sobre essa verdade, subiu ao palco logo depois Wilson das Neves. Sozinho sob a luz de um holofote e munido apenas de uma caixa de fósforos, o cantor e compositor de 75 anos pontuou o silêncio do imenso palco com “Para a gente fazer mais um samba”. A noite prometia.

Transformador de primeira grandeza, o primeiro homenageado da noite foi o cientista Miguel Nicolelis, agraciado por suas pesquisas em neurociência e por seu trabalho à frente do Instituto Internacional de Neurociência de Natal. Ao receber o troféu das mãos de Fernando Chacon, diretor de marketing do Itaú, Miguel resumiu sua motivação: “O impossível pode ser factível. Gostaria de dedicar esse prêmio a todos que realizam o ideário de transformar a ciência em uma ferramenta de busca de felicidade da humanidade”.

“Sairemos daqui inspirados e prontos para refletir sobre o que estamos fazendo com o nosso tempo e nossa energia”

Alcione Albanesi, presidente da ONG Amigos do Bem, que auxilia 60 mil pessoas no torrão mais esquecido do Brasil, foi premiada em seguida por Vasco Luce, presidente da Divisão de Bebidas da Pepsico América do Sul, empresa cuja marca H2OH! apoia o prêmio desde 2010. “Meus amigos, fazer o bem não é fácil. Bem longe é mais difícil ainda. Nós, os Amigos do Bem, temos um lema: ‘Se não posso fazer tudo o que devo, devo ao menos fazer tudo o que posso’.”

Fundador do Instituto Reação, que ajuda jovens de comunidades carentes do Rio de Janeiro com formação escolar, profissional e noções de ética baseadas no judô, o medalhista olímpico Flávio Canto comparou a noite com as Olimpíadas. “Na primeira olimpíada a que eu fui, eu olhava em volta e me sentia numa terra de gigantes. Essa premiação faz a gente pensar: será que eu mereço? No terceiro setor, quanto mais se faz, mais se percebe que pouco se faz, que a gente pode fazer mais.” Quem entregou seu prêmio foi Ricardo Khauaja, vice-presidente da Gol Linhas Aéreas Inteligentes.

Geração pós-rancor

Antecipando o que viria a seguir, Barbara Eugenia cantou “Vaca profana”, de Caetano Veloso, uma ode ao respeito pelas diferenças de opinião. Atenta ao recado, a apresentadora de TV Marina Person subiu ao palco para entregar o troféu a Pablo Capilé, representando o Circuito Fora do Eixo, uma rede de coletivos que está inventando uma nova forma de organização cultural, completamente inclusiva e democrática. “Gostaria de oferecer este prêmio para as mais de 2.000 pessoas que fazem parte do Fora do Eixo pelo Brasil. Jovens que hoje se caracterizam principalmente pelo pós-rancor, que é o entendimento de que essa transformação e essa revolução se fazem a partir do diálogo”, disse o homenageado. Suas palavras ecoavam pela web ao vivo, graças a uma parceria da Trip com o Fora do Eixo, que cuidou da transmissão online do evento.

Visivelmente tocada pelo espírito que envolvia a noite, a atriz Bruna Lombardi convidou ao palco João Cândido Portinari, que dedicou 30 anos à organização do acervo relacionado à obra do pintor Cândido Portinari e fez questão de citar o pai em seu discurso: “Uma pintura que não fala ao coração não é pintura, porque só o coração entende a arte. Só o coração nos poderá tornar melhores. E é essa a grande função da arte.”

“Dedico o prêmio a todos que tentam transformar a ciência em uma ferramenta de busca da felicidade”

Da sublime arte de Portinari, o jornalista Leonardo Sakamoto nos devolveu à realidade ao receber seu troféu dos sócios da Trip Fernando Luna, diretor editorial, e de Carlos Sarli, cofundador e diretor-superintendente. O fundador da Repórter Brasil, ONG que denuncia as violações aos direitos trabalhistas e à legislação ambiental que alimentam muitos negócios no país, dedicou seu prêmio justamente aos autores desses desmandos e às autoridades que não agem para coibi-los. “Que todos eles tenham uma vida longa e saudável, para que possam ver, de camarote, o ódio que eles tanto semearam não prosperar.”

Vítimas desse ódio, os ambientalistas paraenses José Cláudio Ribeiro da Silva e Maria do Espírito Santo foram assassinados no início do ano, antes que pudessem receber a homenagem. Responsável pela indicação de seus nomes ao prêmio ainda antes da tragédia, o jogador Raí, presidente da Fundação Gol de Letra, chamou ao palco Laísa Sampaio dos Santos, irmã de Maria, e Claudelice Silva dos Santos, irmã de José Cláudio. Ameaçadas de morte, as duas pediram justiça. “Esta noite eu me sinto muito honrada, em nome do meu irmão e da minha cunhada, de estar aqui, por toda a luta que eles tiveram, que nossa família tem ainda, por toda a nossa trajetória que a gente ainda vai ter, que não é fácil.”, disse Claudelice.

“Estou emocionado, impactado e silenciado com as histórias tão transformadoras que vivenciamos esta noite.”

Como se envolto em luto, o palco se escureceu por alguns segundos. Logo, a voz de Andréia Dias entoava a canção “Vai (Menina, amanhã de manhã)”, de Tom Zé, cujo refrão dizia que a felicidade iria se derramar sobre os homens. Foi a deixa para que Paulo Kakinoff, presidente da Audi no Brasil, mudasse novamente o tom da noite e chamasse ao palco o ex-pugilista Nilson Garrido, que ensina cidadania pelo esporte em academias de boxe e ginástica sob viadutos na periferia de São Paulo. Garrido surpreendeu. “A maior parte deste prêmio é dedicada a uma pessoa que eu queria que subisse aqui no palco para receber a homenagem. Porque atrás de um grande homem, existe sempre uma grande mulher, que é Cora Batista.” Coordenadora do projeto de Garrido, Cora corou e a plateia adorou.

Construção coletiva

Renato Sérgio de Lima é um dos fundadores e secretário-geral do Fórum Brasileiro de Segurança Pública, ONG que em poucos anos se transformou em um importante espaço de diálogo entre policiais, governos, ONGs e acadêmicos. Seu prêmio foi entregue pela apresentadora Sabrina Sato e por David Feffer, presidente do grupo Suzano de Papel e Celulose, parceiro do premio há três anos. “O Renato é um conspirador do bem”, disse David. “Gênio, sexy”, brincou Sabrina. “Acho que a gente hoje aproximou mais um segmento, que é o segmento de comunicação, de mídia, para esta ideia de que a segurança pública é uma construção coletiva”, afirmou Lima.

O deputado Jean Wyllys, o primeiro parlamentar homossexual a empunhar no Congresso a bandeira do respeito às diferenças, recebeu seu prêmio de Paulo Camossa, diretor-geral de mídia, e Marcello Serpa, sócio-presidente e diretor de criação, ambos da Almap BBDO. “Este prêmio é muito significativo para mim e para toda a comunidade LGBT, porque a homofobia nunca age sozinha, ela sempre age articulada com outras formas de preconceito.”

Depois da participação de Luiz Melodia, que cantou “Só assumo só”, o apresentador de TV e fundador do Instituto Criar Luciano Huck chamou ao palco Maurizélia de Brito Silva, chefe da reserva marinha do Atol das Rocas, a cuja preservação ela tem dedicado os últimos 15 anos. “Tenho que honrar a isso e eu vou honrar com muito mais amor, com muito mais paixão e luta pelo atol, pelas viuvinhas, pelos tubarões, pelas baleias, por tudo”, disse Zélia, emocionada.

Antes do encerramento apoteótico, com Cesare La Rocca e o encontro dos cantores, a última homenagem foi à beleza trazida pelas mãos do estilista Ronaldo Fraga, que extrapolou as fronteiras da moda, tornou-se representante do setor junto ao governo e um agente de transformação social. Malu Nunes, diretora-executiva da Fundação O Boticário, foi quem lhe entregou o troféu. “Estou emocionado, impactado e silenciado com histórias tão transformadoras como essas que vivenciamos esta noite.” Ele não estava sozinho.

"Os vários rostos que estã aqui hoje são como pixels. Uma fotografia maior, uma imagem mais clara, forte e consolidada de tudo aquilo em que acreditamos"

“O Prêmio Transformadores é um lago onde sempre quero voltar para nutrir meu ser de amor e esperança!” Carlos Burle, surfista bicampeão mundial de ondas grandes

“O Prêmio Transformadores nos enxágua a alma. Como patrocinador, sinto que fazemos pouco e, como ser humano, fico pensando na relevância de valores em que vivemos.” Vasco Luce, presidente da PepsiCo América do Sul

“Quanto mais ouço e falo sobre a fantástica noite do prêmio, mais entendo a dimensão do que se passou e mais admiro a iniciativa e o conceito daquilo que te move a empreender tão importante encontro entre pessoas tão diferentes, mas com a mesma direção: fazer o bem, mostrar que é possível e influenciar para que outras também o façam.” Marcio Utsch, presidente da Alpargatas

“O que mais fica pra mim, de tudo, é a emoção. É muito emocionante ver que na alma de todos os presentes habita esse bem que é proposto pelo prêmio.” Carlos Motta, arquiteto e membro do conselho editorial da Trip

“O prêmio é altamente transformador não só para os premiados, mas para o público também. E ele próprio se transforma. Aqui é um reduto de bons valores, mostra que o mundo está melhor. Você quer uma prova de que o mundo está melhor? Seis anos atrás esse prêmio não existia.” Bruna Lombardi, atriz e escritora

“Acho absolutamente fundamental essa iniciativa da Trip. Acho que as pessoas que fazem esse tipo de trabalho devem ser muito estimuladas e devem receber o reconhecimento da sociedade para que possam continuar fazendo.” João Wainer, fotógrafo

“Fiquei encantado com a noite. Brilhante forma de sensibilizar as pessoas e a sociedade e causar mobilização.” Fernando Chacon, diretor-executivo de marketing do Itaú Unibanco

“O que mais me chama atenção é o nível dos premiados, como vocês conseguem reunir histórias tão relevantes para o país e que podem ser tão inspiradoras para outras iniciativas. É maravilhoso ver como cada um deles encontrara seu jeito de fazer a transformação.” Malu Nunes, diretora-executiva da Fundação O Boticário

“Acho um prêmio fundamental por homenagear pessoas que realmente criam e fazem a diferença neste país em que vivemos. Um país que tem muita condição, mas que não dá acesso a todas as pessoas. É um belo incentivo pra quem está ali batalhando.” Fabio Bolotta, editor da revista Tribo

“Linda a festa. O Wilson das Neves foi das melhores coisas que eu vi nos últimos anos. Sensacional, casou direitinho com o bonito astral da festa.” Leão Serva, jornalista e escritor

“O prêmio foi surpreendente: lindo, caprichado e... emocionante! Não quero perder nunca mais!” Marina Bandeira Klink, fotógrafa de natureza

“Parabéns pelo debate sobre evolução, por mais uma edição do prêmio e por essa incrível onda na qual vocês vêm surfando tão bem nesses 25 anos.” Marcello Queiroz, diretor de redação do jornal Propmark

“Superou minhas expectativas. A partir dessa experiência todas as coisas que eu pensar em realizar terão outras dimensões. Esse evento dá uma dimensão planetária a qualquer pensamento, qualquer gesto, até um chá que você faz quando você acorda. Tudo agora tem outro significado. Ele é, expansor, da consciência. Esse evento é alucinógeno.” Alfredo Toné (Alfreedom), ator

“O prêmio abastece qualquer um que vem aqui. Todos saem com essa vontade de mudar, de contribuir para que a vida melhore.” Carlos Alberto Riccelli, ator e diretor

“Vim aplaudir essas pessoas que nem sempre são conhecidas, mas que têm histórias verdadeiras, fazem muito com pouco e nos incentivam a fazer a diferença.” Wellington Muniz (Ceará), humorista

“Assistimos a várias aulas de atitude, compaixão, humildade e desprendimento. São vocês aí na Trip fazendo escola.” Marcello Serpa, sócio-presidente e diretor de criação da AlmapBBDO e membro do conselho editorial da Trip

“Parabéns pelo prêmio, que está cada vez mais transformador e cada vez mais emocionante.” Romeu Andreatta, publisher da revista Alma Surf

“Mais um daqueles dias em que você vê criações ganhando cada vez mais corpo. Parabéns, keep up the great work!” Annibal Neto, fotógrafo

“A noite me tocou profundamente. Desejo que toda a equipe da Trip tenha muita saúde e coragem para realizar este trabalho tão importante!” Mário Queiroz, designer de moda e professor

“Este prêmio coloca a vida em uma outra dimensão. Você começa a repensar: o que faço da minha? Que significado tem o meu trabalho? Você vê umas pessoas tão nobres, vivendo em prol de um bem maior. Fico até um pouco envergonhada com o meu próprio ofício, com a minha vida. Mas ele é bom para isso mesmo. É um prêmio para a gente tentar melhorar.” Marina Person, apresentadora da TV Cultura

“Fiquei muito feliz em presenciar mais um evento de muito sucesso e qualidade, uma referência transformadora para nós e as pessoas presentes em 2011.” Joaquim Constantino, sócio-fundador e membro do conselho da Gol Linhas Aéreas Inteligentes

“A transformação verdadeira vem de dentro da pessoa. Neste nosso planeta de centros urbanos cada vez mais caóticos, se passamos a ter um pouco mais de atenção para nós mesmos e para os semelhantes, haverá uma transformação.” Marcelo Soderi, gerente de comunicação comercial da Natura

“Gostaria de agradecer ao Grupo Trip e a meu amigo Paulo Lima por terem me dado a oportunidade de fazer parte desta noite tão nobre e deliciosa de estar. Com certeza saí mais convicta de que existe amor nas pessoas, capaz de transformar e fazer o bem ao próximo.” Sabrina Sato, apresentadora de TV

“O prêmio cutuca todo mundo que está aqui dentro deste auditório. Pra mim, pessoalmente, deu vontade de fazer algo a mais. Saio contente de ter recebido essa energia e essas informações.” Eduardo Bidlovsky (Bid), produtor musical

“Acho massa essa história de ter gente tão diferente da outra. Tem prêmio pra gente que trabalha com música, com criança, com meio ambiente. E a cada prêmio a coisa fica mais forte.” Karina Buhr, cantora

“Quero cumprimentar vocês, que movimento! Realmente transformador.” Ricardo Gandour, diretor de conteúdo do Grupo Estado

“O prêmio sempre surpreende, cada vez mais. Sou fã da Trip, e mais ainda do prêmio. Acho que premiar boas ações não é algo tão feito no Brasil. Mas deveria ser. Precisamos incentivar a fazer o bem.” Pedro Paulo Diniz, empresário e ex-piloto de Fórmula 1

“A noite foi maravilhosa. É uma noite de celebração do que há de mais positivo no país.” Ricardo Khauaja, vice-presidente de Clientes, Mercado e Gestão da Gol

“É muito estimulante e inspirador todo esse movimento. Realmente dá vontade de sair daqui e falar com os filhos para ampliar mais o alcance dessa mensagem passada, para continuar essa rede de transformadores e transformados.” Raí, presidente da Fundação Gol de Letra e ex-jogador de futebol

“Iniciativas como esta são absolutamente modernas, o que combina com a Trip. O mundo moderno tem que ser um mundo preocupado, atento e dedicado. E é isso que a Trip vem fazendo e que se materializa aqui neste prêmio.” Álvaro Coelho da Fonseca, empresário

“Quero cumprimentar toda a equipe da Trip. Acho muito importante no mundo de hoje ter uma empresa de comunicação que busca e encontra no Brasil gente que está de fato interferindo nesse processo doido do mundo.” Acácio Luiz Costa, diretor-executivo Grupo Estado

“É um dos poucos eventos no Brasil que tratam da humanidade, das pessoas com ações inteligentíssimas. E parece que todo ano isso aqui vai em progressão geométrica. Aqui vemos muita gente de alto poder de persuasão trazendo mais gente para esse mundo inteligente, para fazer uma outra sociedade de tolerância, de coletividade.” Rafic Farah, designer e fundador da Escola da Cidade

“Foi demais o evento! Fiquei feliz por ver a cria tão forte, por ter revisto a turma... Aquela atmosfera toda faz um bem danado e conforta saber que vai longe.” Antonio Bonfá, sócio-diretor da Subvert

“O Prêmio Transformadores premia e exalta os premiados, enseja a cada ano fortes emoções e reflexões em todos os presentes na premiação. Saímos de lá transformados.” Arnaldo Vuolo, advogado

“O Trip Transformadores talvez seja o prêmio mais relevante do ponto de vista de apontar um movimento e não apenas um fato. Serve de exemplo e é de uma importância extraordinária.” Ricardo Guimarães, presidente da Thymus Branding

“Nunca imaginei que o prêmio fosse ter essa dimensão algum dia. Mesmo depois de quatro vezes aqui, é impossível não se emocionar e imaginar o que ainda está por vir. Tem uma integração muito interessante na plateia. Gente que já está fazendo muita coisa encontra outras que também estão nessa. Devia ser currículo obrigatório para todo mundo.” Paulo Kakinoff, presidente da Audi no Brasil

“Gostaria de parabenizar vocês pela beleza do prêmio. Nunca vi um projeto tão completo, tão intenso, tão emocionante. Dá um orgulho danado em conhecer pessoas como vocês. Dá uma vontade danada em participar ativamente desse projeto.” Florence Scappini, gerente geral de marketing da Gol Linhas Aéreas Inteligentes

“Vocês da tribo Trip se superaram em tudo! Parabéns! Me senti ainda mais honrado de ter sido contemplado o ano passado! As pessoas que apresentaram aqui seus sonhos, suas lutas e seus projetos estão de parabéns.” Kaká Werá, presidente do Instituto Arapoty, homenageado em 2010

“Parabéns pelo Transformadores! É uma reunião de amigos. Obrigado pela oportunidade de poder compartilhar esses momentos com pessoas tão especiais!” Flávio Ascânio, professor universitário e pesquisador dos esportes de prancha

“Obrigada por me fazer conhecer gente tão especial e inspiradora. Foi uma noite inesquecível e comovente. Parabéns pelos cinco anos do prêmio, pelos 25 anos da Trip e pelo prestígio de reunir uma plateia para lá de VIP.” Regina Augusto, diretora editorial do Meio & Mensagem

“É sempre uma inspiração tremenda estar aqui. O legal desta premiação é que conseguimos enxergar transformação em todos os pontos da sociedade, em todos os pontos do Brasil. Pessoas diferentes com o mesmo compromisso, que é transformar a realidade em que vivem.” Denis Mizne, diretor do Sou da Paz, homenageado em 2008

“Parabéns pelo evento. Gostei muito e saí muito melhor do que entrei.” Eduardo Tracanella, superintendente de marketing institucional do Itaú Unibanco

“Parabéns pelos 25 anos da Trip, e pelo seu maravilhoso trabalho. É bom sentir orgulho dos amigos!” Luiz Felipe Moraes, proprietário da Adega Santiago, por email

“Muito legal ver o quanto as pessoas que estão sendo premiadas, entregando prêmios ou só assistindo formam um grupo interligado por desejos e sonhos de ver e viver num mundo melhor.” Carla Mayumi, sócia e diretora de inovação da Box 1824

“É um prêmio que traz uma dimensão de solidariedade, de compartilhamento de experiências. E isso é fundamental para a transformação de mundo que a gente espera.” Marcelo Soderi, diretor de comunicação da Natura

matérias relacionadas