por Redação

”Quando a crítica é pra agredir, aí é que eu não presto atenção mesmo”

Tulipa Ruiz lançou em 2010 seu primeiro disco, Efêmera, e foi catapultada à condição de grande promessa da música nacional. Hoje, dois anos depois, ela lança seu segundo disco, o Tudo Tanto, e se consolida como uma das mais importantes cantoras da sua geração.

"Quando a crítica é muito pejorativa, ou muito pra agredir, aí é que eu não presto atenção mesmo"

Nascida em Santos e criado em São Lourenço, em Minas Gerais, ela veio a São Paulo para cursar Comunicação e Multimeios na PUC. Na Pontifícia Universidade Católica ela não só estudou como conheceu um pessoal do barulho, como Tatá Aeroplano e Dudu Tsuda, e passou a se aventurar pela música. Assim, meio que na brincadeira, foi chamando a atenção de amigos, de jornalistas, de críticos musicais e, em 2009, fez sua primeira apresentação pra valer. Os elogios continuaram chegando e no ano seguinte abandonou a carreira de jornalista e o horário comercial e lançou o Efêmera, seu primeiro álbum, que a fez cair definitivamente nas graças do público.

"A presença do sexo influencia muito no humor, na alegria, na tristeza, na inspiração, assim como a falta dele também influencia demais. Se você está na ativa muita coisa faz sentido, você fica muito mais a fim de fazer as coisas... ou muito mais bodeada também, muito mais a fim de fazer outras coisas [risos]."

O Trip Fm vai ao ar na grande São Paulo às sextas às 20h, com reprise às terças às 23h pela Rádio Eldorado Brasil 3000, 107,3MHz - 

matérias relacionadas