por Paula Rothman
Tpm #83

Sem encanações ou exageros, a surfista Maya Gabeira vive fazendo o que gosta

 
Sem encanações ou exageros, a surfista Maya Gabeira vive fazendo o que gosta. É feliz em cima de sua prancha – e bonita assim justamente por isso

Aos 21 anos, Maya Gabeira vai aonde as ondas a levarem. Em todos os sentidos. Na vida e no mar, seu caminho é traçado conforme a vontade delas. Foi assim quando, aos 17, decidiu sair de casa para rodar o mundo vivendo do que gostava – e sabia fazer de melhor. O surf, que começou a praticar aos 14 anos por influência de um namorado, virou mais do que um esporte: é seu estilo de vida. Das roupas e acessórios que usa, a maioria presente de patrocinadores, até a dieta balanceada para melhorar a performance, ela tem a vida regrada pelas marés.

Os cabelos loiros e o bronzeado natural denunciam os dias passados sob o sol. Mas Maya não liga, tampouco perde tempo com a pele ou as madeixas. “Uso protetor, às vezes um hidratante e só. Acredito que vou ter algum sinal de que passei oito horas todos os dias da minha vida na praia, mas não me preocupo muito com rugas”, confessa. Há um ano morando no Havaí, a meca do surf mundial, a carioca bicampeã do Billabong XXL – Women’s Overall 2007 e 2008, título máximo da categoria feminina, não se vê fazendo outra coisa. “Trabalhei como garçonete no Havaí até poder me manter com o surf. Escolhi montar minha base aqui por ser o melhor lugar para evoluir na carreira”, conta, sem perder o sotaque de garota carioca.

Mesmo com residência fixa na Big Island, Maya não deixa sua escova de dentes na mesma pia por muito tempo. Por ano, passa dois meses no Brasil, seis no Havaí e o resto viajando para competir. Sorte que a surfista escolhe peças fáceis de combinar com o que estiver na mala. E, ao contrário do que faz no mar, onde sua especialidade são ondas grandes, na moda ela não se arrisca. “A maioria das minhas roupas é preta ou branca, não me aventuro muito”, ri. Maya aguarda a temporada de inverno e não vê a hora de voltar para o mar. Recém-recuperada de um nariz quebrado num treino na Barra da Tijuca, ela não faz planos e segue a vida do jeito que sempre quis: “Vou fazendo isso enquanto estiver me realizando e trazendo felicidade”.

Como é ser mulher em um meio masculino? Tranqüilo. Rola muito respeito e tenho grandes amigos. É diferente, porque não fico com muitas mulheres, mas, no meio esportivo, eles têm muito a ensinar.

Você se acha bonita? Acho que beleza não é uma questão de se arrumar, de ser vaidosa. Pra mim, é uma coisa mais de dentro para fora. Bonita é uma pessoa feliz, de bem, realizada, com saúde. Eu busco isso.

Como é a sua alimentação? Controlo com uma nutricionista. Tenho algumas refeições livres na semana e o resto é dieta. No café-da-manhã, pão integral, queijo-de-minas, fruta e iogurte desnatado. Almoço salada com legumes e proteína. Como carboidrato à tarde e, à noite, sopa, proteína e salada. Às vezes, arroz integral.

É fácil seguir o cardápio? É difícil pra caramba! Mas não chega a ser uma tortura, porque vejo os resultados. Sou disciplinada – todo atleta tem que ser. Às vezes faço uma refeição fora da dieta, mas tudo bem: a vida não é tão regular assim.



Zen
“Procuro meditar. Às vezes estou mais ligada, às vezes menos, depende do momento da vida”

Longe da farofa
“Não como besteira na praia. Aliás, não lembro a última vez que fiquei na areia. Se ficar, é no Havaí e lá não tem gente que vende picolé, essas  coisas”

Disciplina
“Não posso comer muito carboidrato, gordura, fritura, carne gorda, pão branco e farinha”



Sanfona
“Tive várias vezes problemas de peso até me acertar. Um pouco sanfona. Nessas horas, nutricionista é uma boa, né?”

Cabeleira
“Não tenho nenhum ritual com meu cabelo. Pra surfar, uso o protetor da Kérastase. Às vezes, depois do banho, passo nas pontas um silicone  reparador”

Remendos
“Já me machuquei várias vezes no mar: tenho milhões de cortes e já quebrei o nariz nove vezes. A última, em setembro, foi a mais séria: tive que operar”



Hidratante
“Tem um creme hidratante para o corpo da L'Occitane, de mel, que é muito bom. O cheiro é maravilhoso”

Corpão
“Porque sempre fui atleta e cuido da alimentação, nunca tive celulite e estria. Se aparecer, talvez vá me preocupar”

Não-pimentão
“Odeio ficar deitada na areia tomando sol. Aliás, eu vou pra água, não vou pra praia”

Tpm+
Confira Maya Gabeira fazendo bonito o que sabe melhor: pegando altas ondas!


matérias relacionadas