Tpm

por Gabi Sampaio

Neste domingo, que tal surpreender a sua mãe com um café da manhã especial na cama?

Gabi Sampaio sugere o menu, que inclui coquetel com champagne e salmão defumado pra vocês duas experimentarem juntas

 Quando eu era criança, o Dia das Mães era um daqueles raros domingos que a gente acordava mais cedo. Meu pai levantava a gente da cama e silenciosamente marchávamos para a cozinha. Minha mãe, enquanto isso, tinha que continuar bela adormecidíssima.

Meu pai, na verdade, pouco cozinhava. Mas como eu achava que ele era o homem mais lindo do mundo, a omelete que ele fazia era, igualmente, a coisa mais linda do mundo.

Nós ajudávamos pegando os ingredientes, colocando pão na torradeira, desenhando uma carinha feliz na Doriana (como na propaganda da época), espremendo laranjas para o suco e nos perguntando como é que alguém podia beber aquela porcaria amarga que chamavam de café.

Colocávamos tudo nas louças mais modernas da minha mãe, presentes do casamento na década de 70. Daí, empolgadíssimos, ladeávamos meu pai, que subia a escada com a maior bandeja da casa em mãos. Íamos em direção ao quarto para o começo mais legal daqueles domingos: café na cama.

Cobríamos minha mãe de beijos enquanto ela fingia acordar surpresa. O menu, como eu contei aí em cima, não era nada complexo. Apenas café, omelete, torradas e suco de laranja. O café da manhã na cama também não era nada exatamente secreto: a mesma técnica era aplicada no Dia dos Pais e no aniversário de cada um deles. Mas foi fazendo coisas assim que eu comecei a pegar gosto para cozinhar em homenagem aos outros.

Hoje, 25 anos depois, meu pai não está mais aqui. E nós três já saímos de casa para as nossas próprias vidas. Mas eu sinto tanta saudade desse tempo que eu quero vivê-lo mais uma vez.

Então vou me aproveitar do fato da minha mãe nunca ler essa coluna (dá até pra usar negrito!) porque ainda se atrapalha com internet e vou surpreendê-la com um café na cama neste domingo. Isso quer dizer que terei que acordar muuuuito mais cedo do que é decente, mas o que você não faria por sua mãe e por sua saudade?

O menu que eu bolei é um pouco mais “refinado” do que aqueles que eu fazia com meu pai, mas ainda assim prático para ser transportado de uma casa até a outra. Também agora prefiro manteiga à margarina, claro.

Então domingo minha mãe vai acordar com algo assim sobre aquela mesma bandeja enorme de antes:

Para beber:

Mimosa – Porque, sim, eu acho que minha mãe merece acordar com champagne. Com suco de laranja. É um coquetel facílimo de fazer e, quem sabe, não irá deixá-la um tiquinho bêbada também? ;-) Aqui uma receita de Mimosa. E, ah, na falta de champagne, use espumante!

Café – Em vez do café de todo dia, vou levar pra casa dela minha Prensa Francesa (cafetière). No lugar do café em pó, trarei café moído mais grosso, que é o ideal pra este método. E já que é pra fazer firula e impressioná-la, o café também será do tipo “gourmet”. Neste vídeo aqui a Cecília Sanada, barista do Octavio Café, ensina como operar uma Prensa Francesa.

Para comer:

Ovos Hemingway – Não consegui descobrir se há alguma relação com o escritor ou com o clã, mas o que me chamou a atenção nesta receita é que ela é uma releitura mais delicada dos Ovos Benedict, um clássico de café da manhã e brunch. No lugar do bacon da receita original, entra o salmão defumado. Ele é colocado sobre English Muffins tostados e cobertos com ovos pochê e molho hollandaise. Servido em dupla, é uma sugestão bem completa de prato principal de café da manhã. O molho hollandaise, pra ser bem honesta, é um SACO de fazer. Por isso, dou a receita de uma blogueira mais prática, que usa iogurte e cúrcuma pra substituir esse molho clássico (e chato, hehe).

Salada de frutas com açúcar de menta – segundo a dona da receita, o segredo do sucesso é o açúcar com a erva. Também gostei da combinação de cores das frutas, um pouquinho menos “cheguei” que as nossas mais tropicais. Como encontrei pêssegos muito madurinhos e cheirosos por aí, vou combiná-los às uvas do tipo Crimson e, no lugar das cerejas, vou de blueberries. Olha só como tudo isso é bem fácil de fazer e você pode compartilhar a comida com a sua mãe, claro. 



OVOS HEMINGWAY
(Receita traduzida e adaptada do blog Gooseberry Mooseberry)
Rendimento: 2 pessoas

Ingredientes:
1 xícara de iogurte
1/8 colher de chá de açafrão da terra em pó (cúrcuma)
1 colher de sopa de dill picado
Suco de 1/2 limão siciliano
1 pitada de pimenta-do-reino branca
Sal a gosto
2 pãezinhos tipo English Muffins* ou pãezinhos pequenos , do tipo bisnaguinhas, cortados ao meio e tostados
4 fatias de Salmão defumado
4 ovos pochê
Opcional: ciboulette picada para decorar

Modo de fazer:
1. Em um bowl médio, misture o iogurte e cúrcuma até que o iogurte fique na cor amarelo pálido.
2. Junte o dill, suco de limão, pimenta e sal. Reserve.
3. Veja como preparar ovos pochê aqui. Uma dica pra que os ovos fiquem em formato redondo (e não espalhados na panela): coloque uma concha na panela fervente e derrame o ovo dentro dela. Quando ele estiver mais sólido, solte-o na panela.
4. Coloque sobre cada metade de pão uma fatia de salmão defumado, o ovo pochê, uma colherada do molho de iogurte.
5. Complete com a ciboulette picada e repita o mesmo processo nos outros pedaços de pão. Sirva dois de cada por pessoa.

SALADA DE FRUTAS COM ACUCAR DE MENTA
(traduzida e adaptada do blog The Merry Gourmet)
Rendimento: 2 pessoas

Ingredientes:
1/4 xícara de menta fresca, lavada e seca
1 colher de sopa de açúcar
150 g de blueberries (1 caixinha)
2 pêssegos maduros cortados ao meio, sem caroço e picados em pedaços pequenos
250 g de uvas vermelhas do tipo Crimson, sem sementes, cortadas ao meio

Modo de fazer:
1. Misture a menta com o açúcar no processador.
2. Misture as frutas em um bowl e acrescente o açúcar.
3. Deixe descansar por cinco minutos antes de servir.

* Se quiser fazer seu próprio English Muffin, veja uma receita aqui.

Gabriela Sampaio Fergusson, 35 anos, é jornalista especializada em Gastronomia e Tecnologia e mantém o tumblr Céu da Boca http://ceudaboca.tumblr.com

matérias relacionadas