por Nina Lemos

O mundo caindo e vocês patrulhando se a cantora fez ou não botox? Meu corpo, minha regras. Deixem a menina em paz!

É com atraso que falo sobre a boca da Anitta. É com atraso porque estava pensando em outras coisas (e são tantas as coisas para nos preocuparem no momento, não?). Tantas!

Mas uma pausa para falar sobre patrulha, controle e machismo.

Semana passada, Anitta apareceu com a boca “estranha”. Depois disso, um CSI foi montado para descobrir o que, afinal, teria acontecido com a boca da cantora, que faz hoje 23 anos (parabéns!).

Anitta teria exagerado no botox. Anitta teria feito um procedimento, não gostado e retirado. Clínicas foram investigadas, médicos convidados para debater o tema em programas de TV. Só faltou o japonês da Polícia Federal aparecer na casa dela e levá-la para um interrogatório.

Meu corpo, minhas regras, a gente sempre diz, mas costuma esquecer em casos como esse, que, por sinal, é constantemente alvo de bullying: é a plástica, é a roupa. Anitta é boa de cuspir. Não, não falo da sua música, que eu nunca ouvi. Falo da menina que é criticada e ridicularizada por fazer plásticas, colocar o vestido “errado”, ter celulite.

As pessoas gostam de rir da Anitta. E riem, como riem.

Os memes sobre a boca e as piadas são fáceis e sem graça. E Anitta ainda se explicou duas vezes. Uma colunista a acusou de ter caído em contradição (meu Deus, gente, o mundo está desabando, e ela não caiu em contradição alguma, inclusive, porque ela não tinha a menor obrigação de se explicar!).

Mas adorei a resposta da Anitta no Snapchat: “Eu não entendi nada, porque faço preenchimento há sei lá quanto tempo, não é uma coisa nova. Daí resolvei fazer de novo, porque tinha passado um tempo já. Só que nos primeiros dias fica meio inchado e depois volta ao normal. Mas estou cagando, saio na rua, não estou nem aí. Polêmica, para mim, é a situação política atual do nosso país, são atentados terroristas, a escolaridade da nossa população, o desemprego, é roubar, é você matar alguém. E muita gente interessada no que eu faço, teve programa que fez até um especial. Fico pensando, se tivesse concentrado essa energia para investigar o negócio da política, já tinha montado o quebra-cabeça inteiro, matado a charada e já estava tudo ótimo. Tem coisa mais importante para conversar neste país do que uma boca.” Vocês ainda acham que ela é burra depois dessa resposta?

Se eu pudesse dar um conselho para a Anitta seria: você não precisa se explicar. Seu corpo, suas regras. E isso vale para plástica, para quem não faz plástica, para a roupa que você decide usar, para tudo.

Deixem a Anitta em paz! E que o mesmo valha para qualquer outra menina que faça ou não uma intervenção. O mundo já anda complicado demais, vamos parar!

matérias relacionadas