A beleza dos cachorros não desvia a atenção do estilo dos dogwalkers

Bonito pra cachorro: Personagens comuns nas paisagens urbanas de Nova York e Buenos Aires, os dogwalkers chegam ao Brasil para tirar os bichinhos dos apartamentos

Leandro Diaz e Almir Araújo, os dois modelos destas páginas, bem, não são modelos. São dog walkers, personagens tradicionais da paisagem urbana de Buenos Aires e Nova York, que tornam se cada vez mais comuns no Brasil. Leandro é dono de um pequeno pet-shop há seis anos, e há dois começou a trabalhar também como passeador. “É uma área que está crescendo muito, principalmente aqui no centro de São Paulo, onde eu moro e há muitos apartamentos”, conta. O rapaz caminha com os animais de estimação por uma hora. “Nossa principal função é melhorar o condicionamento físico do animal, é preciso queimar a energia que eles não queimam em casa”, explica nosso dublê de modelo.

A profissão de dog walker é mais uma peça num quebra-cabeça econômico incrível. No estado de São Paulo, já são mais de 10 mil pet-shops – segundo a Abinpet, Associação Brasileira da Indústria de Produtos para Animais de Estimação. Há hotéis, creches, serviços de adestramento e recreação, cabeleireiros, babás, tratamentos homeopáticos etc. e muitos outros etcs. Entre eles, nossos amigos que passeiam com os cães alheios. Esse mercado de quatro patas movimentou R$ 12,2 bilhões no ano passado e, neste ano, o total deve subir para R$ 13,6 bilhões. E nada menos do que 16% dessa dinheirama vem dos serviços oferecidos – em que entram os passeios.

Almir Araújo, por sua vez, é funcionário da Dogwalker, empresa de nome autoexplicativo. “Eu sempre gostei de cachorros”, diz. “Quando saí do meu antigo trabalho como vendedor, fiz o curso de dog walker na empresa e entrei de cabeça no ramo. Agora, pretendo abrir meu próprio negócio na cidade onde moro, Mogi das Cruzes.” Cada dono gasta, em média, R$ 300 por mês nessa terceirização da voltinha. Dependendo do profissional, da quantidade de passeios por semana e da quantidade de totós reunidos por ronda, um bom dog walker pode tirar até R$ 2 mil por mês. E ainda mantém a forma caminhando.

Vai lá: Almir Araújo (11) 97397-3757 e Leandro Diaz (11) 96931-5182

Edição de Moda: Drica Cruz/ABÁ mgt
Coordenação: Geral Adriana Verani
Produção: Bernardo da Mata
Produção de Moda: Satomi Maeda e Barbara Achoua
Make&Hair: Jô Castro
Assistente de Foto: Caio Porto
Agradecimentos: www.dogwalker.com.br

matérias relacionadas