por Redação

Com Mos Def, osgemeos e Ken Swift, festival presta homenagem à história do hip hop no Sesc

Relembrando a história do hip hop nacional e internacional, o Festival Indie Hip Hop prestou homenagem aos 10 anos do Dulôco (festival que aconteceu há 10 anos, também em unidades do SESC). Shows, workshops e um painel de grafite foram as atrações dos dias de evento, no SESC Santo André. Mos Def fechou as duas noites do Indie e foi a principal atração.

No sábado (05/12), osGemeos, Ise, Finok, Toes pintaram o começo da história do hip hop fazendo referência ao filme Wild Style e à cidade de Nova Iorque, considerada um dos berços dessa cultura de rua. Ken Swift, lendário bboy de Nova York. No palco, Contra-Fluxo e Espião, Inumanos e Max B.O., Pentágono, Pizzol aqueceram o público para a apresentação de Mos Def, que empolgou o público. O rapper norte-americano falou muito com a plateia nos dois dias, tentando conversar em português, declarando ser fã de cantores brasileiros como Tim Maia, Caetano Veloso e Jorge Ben. Em alguns momentos o show virou uma apresentação de soundsystem, com seus DJs, soltando sons “clássicos”, como definiu Mos Def. De música brasileira a rock, o rapper deixava a faixa rolar e dançava no palco.

O painel sobre história do hip hop ficou pronto no domingo (06/12), com a inclusão dos nomes nacionais. Os grupos do Metrô São Bento foram lembrados (nomes como Nação Zulu e Back Spin), assim como nomes mais contemporâneos: Mano Brown, dos Racionais MC's e o grupo Tsunami All-Stars. Mista Sinista (da crew X-Ecutioners) mostrou suas habilidades no workshop de DJ ; os shows ficaram por conta de Mamelo Sound System com Elo da Corrente, Kamau com Parteum, A Filial e Nel Sentimentum. Como no dia anterior, Mos Def mostrou que entende de música brasileira da velha guarda e  convidou a clássica banda de funk Black Rio para subir ao palco – o que também aconteceu no sábado.

matérias relacionadas