por Paulo Lima
Trip #275

Criar edições fundidas das nossas revistas Trip e Tpm, que se misturam de maneiras cada vez mais intensas, tem nos seduzido demais

Investigar as quebradas da alma humana sempre foi o que 
nos moveu por aqui. Completamos, neste conturbado 2018, 
32 anos de pesquisas ininterruptas para tentar desvendar alguns milímetros que seja dos mistérios que nos definem. E, desde sempre, as questões que nos diferenciam se confundem com as que nos revelam iguais. Desde 1986, percorremos, sob os mais diferentes pretextos e enfoques, os canais que nos projetem 
mais fundo nessa busca.

Assim, a ideia de criar e produzir edições fundidas das nossas revistas Trip e Tpm, que se penetram e se misturam de maneiras cada vez mais intensas, tem nos seduzido demais. Se nos fascina estudar as supostas diferenças entre os universos masculino e feminino, tem nos encantado tanto quanto ou mais explorar os pontos de contato, tudo o que é e não é fruto de construções, todas as possibilidades, tudo aquilo que, para bem além de definições e enquadramentos, nos faz humanos. Com a autoridade de quem mergulha nesses temas há mais de três décadas e que há 17 anos lançou as bases de um redirecionamento do olhar da sociedade no que toca ao feminino e à equidade de gêneros, na forma do projeto Tpm, queremos viajar na conjunção carnal entre todas as possibilidades. Libere suas travas e se deixe levar por esses dois corpos se entrelaçando e se roçando com muito amor.

Estamos precisando disso. E você vai gostar.

matérias relacionadas