por Rebeca Puig

Um encontro entre o melhor da cultura pop mundial, a Comic Con Experience, acontece entre os dias 6 e 10 de dezembro, em São Paulo

Feiras para fãs de quadrinhos e cultura pop de maneira geral existem há muitos anos no Brasil, mas foi apenas em 2014 que o país recebeu uma convenção com porte e formato similar à tradicional San Diego Comic Con (que existe desde 1970), nos EUA. Um encontro entre os artistas do Artists’ Alley, editoras, lojas especializadas, fãs e atores e quadrinistas famosos, a CCXP 2017, ou Comic Con Experience, acontece entre os dias 6 e 10 de dezembro no SP EXPO em São Paulo.

A CCXP serve como um ponto de encontro anual para marcas e fãs. Desde a primeira edição o evento tenta se diversificar, tornando-se mais atraente para fãs de diferentes áreas do entretenimento. É fã de E-sports? A TwitchTV tem um estande pra você. Está aqui pelos quadrinhos? Eles têm o maior Artists’ Alley da América do Sul, com artistas nacionais e internacionais. Quer comprar tudo que existe de Harry Potter ou Star Wars? As duas franquias possuem lojas exclusivas te esperando. Seu negócio são animes? É só passar pelo Anime Experience. Quer assistir palestras com quadrinistas e artistas? Você pode escolher entre as eternas filas do Auditório Cinemark, onde as principais atrações acontecem, ou passar pelos Auditórios Ultra ou Prime, com a programação repleta de bate-papos e palestras muito interessantes. 

Além do evento principal a convenção oferece também o CCXP Unlock, um evento que acontece também no SP EXPO, mas foca nos profissionais do ramo do entretenimento no Brasil. Esse braço do evento oferece palestras, painéis, bate-papos e entrevistas com executivos, produtores e diretores, discutindo investimento e empreendedorismo no mercado. Este ano Paulo Lima, fundador da Trip Editora, vai participar no dia 6 de dezembro, às 13 h, falando sobre Curadoria e Branded Co. O ingresso para o CCXP Unlock é vendido separadamente.

Para quem, como eu, frequenta a feira desde a primeira edição, as melhorias na infraestrutura são óbvias. Se no primeiro ano o problema era o estacionamento no chão de terra (substituído por um prédio imenso, pelo custo de 40-50 reais a diária) e a quebra do ar-condicionado, no segundo ano veio a reforma do SP EXPO que não terminou a tempo e trouxe diversos problemas de locomoção para acessar a entrada do evento, além dos banheiros precários durante a crise hídrica de São Paulo. No ano passado, a maior reclamação foram as filas intermináveis do primeiro dia, com relatos de pessoas ficando 4 horas só para conseguir entrar no pavilhão. 

Apesar de todas as palestras e discussões, a verdade é que a CCXP é um paraíso do consumo. Particularmente, eu costumo focar os meus gastos do Artists’ Alley, que é cheio de artistas talentosos e possui opções desde quadrinhos até prints e originais autorais (você pode encher as prateleiras e decorar a parede do escritório). Esse ano, o Alley vai contar com artistas internacionais como Gail Simone, Marc Andreyko, Bill Sienkiewicz e Denys Cowan - que também participarão de mesas de discussão e palestras. Lá você também encontra os mais importantes quadrinistas nacionais como Fábio Moon e Gabriel Bá, Carlos Rua, Germana Viana e Bianca Pinheiro.

LEIA TAMBÉM: Universo das HQs para além dos heróis 

No line-up de atores e diretores famosos deste ano, vamos poder ver Will Smith e David Ayer, que vêm para um dos painéis mais celebrados do evento, o da Netflix, falando sobre o filme de fantasia Bright. Além deles, as atrizes Danai Gurira (a Michone, de The Walking Dead) e Alice Braga (de Novos Mutantes) também estão confirmadas. Alicia Vikander vem para falar do projeto que une fãs de cinema e video-games: Tomb Raider. Os atores Dylan O’Brien, Nick Jonas e o diretor Robert Rodriguez também estarão presentes.

Caso você tenha decidido participar pela primeira vez da CCXP neste ano, ficam algumas dicas: cultive a sua paciência e auto-controle, elas vão ser úteis não só para não estourar o cartão de crédito em camisetas e toys que você nem queria mesmo, mas também para não se estressar com as inevitáveis filas. Os preços da alimentação são estratosféricos e as opções não são muito variadas, ainda assim eu não consigo ir embora sem comer pelo menos um churro excessivamente caro. Mantenha-se hidratado, dê um jeito de manter-se alimentado e, principalmente, divirta-se. 

Créditos

Imagem principal: Divulgação

matérias relacionadas