por Ana Manfrinatto

Você sabe o que é “flash”? Gosta de boa música? Saca só essa dica de banda argentina que vai estar no Brasil!


Morbo y Mambo é uma banda aqui da Argentina de quem eu sou tão, mas tão fã, que acabei virando amiga. Já falei sobre eles aqui Nos Ares e tô falando de novo porque eles estão com as malas prontas pra ir pro Brasil – inclusive já enrolaram a Carlinha, vocalista e guitarrista, em plástico bolha!

A Rolling Stone local definiu os manos tão bem que eu faço minhas as palavras deles. “Um grupo argentino que mergulha nas profundezas do afro-beat e mistura Fela Kuti com Miles Davis”. Como a gente fala aqui na argentiland, o som deles é um FLASH.

Tipo, “flashear” seria o “flash” em movimento: viajar, flutuar, curtir, se surpreender.

E como eu não me aguento, roubei um tempo na agenda pré viagem deles – o que inclui deixar tudo organizado na firrrma e travar uma verdadeira batalha para conseguir comprar dólares e/ou reais nos mercados branco, negro, azul e amarelo – pra fazer uma entrevisitinha pra você, meu querido leitor.


Esta é a segunda vez de vocês no meu país. Fala um pouco da primeira!

Morbo y Mambo: Em janeiro de 2011 a gente esteve no Rio, em Belo Horizonte e em São Paulo. Tocamos com Curumin, Do Amor e Rabotnik, um grupo experimental incrível pirou o nosso cabeção no Audio Rebel, em Botafogo. Sem falar que era a primeira vez que algumas pessoas do grupo viajavam para o Brasil, ou seja, foi demais.   

E quais são as expectativas de vocês nessa nova turnê? Os lugares, as bandas...

Morbo y Mambo: Tocar de novo com o Curumin, pra nós, é um sonho! E ainda por cima dessa vez ele é convidado do nosso show! Sem falar que a gente vai ficar mais dias no Rio e vai poder conhecer melhor a cidade.

O que vocês acham do público brazuca?

Morbo y Mambo: Parece que os brasileiros estão mais acostumados com o ritmo que a gente toca. Faz anos que vocês consumem dub e Fela Kuti. A gente sente um contato mais imediato.

Quais são os músicos/bandas brasileiros que mais inspiram vocês?

Morbo y Mambo: Caetano e Mutantes são nomes que admiramos muito, embora, na verdade, o vínculo que os brasileiros tem com a música é o que mais nos inspira quando pensamos no Brasil. A gente poderia continuar falando em Buguinha, Nação Zumbi, Eddie, Secos e Molhados, Tom Zé...

Pra terminar, pode ser um recadinho pros leitores do Nos Ares?

Morbo y Mambo: A gente espera que vocês possam vir aos shows. Estamos levando o nosso primeiro disco, que ainda não estava pronto quando fomos ao Brasil pela primeira vez. Nossa ideia é reencontrar velhos amigos e conhecer muitos outros nessa turnê.

Véi, na boa, vocês não vão se arrepender. Anotaê as datas:

13/10, no Rio, com Curumin e Orquestra Santa Massa na Fundição Progresso
21/10, em São Carlos, no Festival Contato
26/10, em Santos, no Allegra Café
28/10, no Rio, na Reserva +
01/11, no Rio, no Circo Voador

Boas notícias pros paulistas e mineiros: pode ser que eles toquem por aê. Fiquem de olho no site de los chicos ;-)

Pra terminar, fica a dica de boa música e um videozim pra vocês conhecerem!

matérias relacionadas