por Ana Luisa Abdalla

Uma moça que ensina a usar um coletor menstrual, explica por A mais B porque brigadeiro não engorda, dança, canta e fala palavrão. Tudo isso com um sotaque carioca carregado e muita tiração de sarro

Uma moça que ensina a usar um coletor menstrual, explica por A mais B porque brigadeiro não engorda, conta segredos escatológicos das mulheres, discorre sobre mal entendidos em relacionamentos, dança, canta, fala palavrão e sobre sexo, claro. Tudo isso com um sotaque carioca carregado e muita (muita) tiração de sarro. Essa é Julia Tolezano, criadora do canal Jout Jout, Prazer. Com 23 anos, a garota de Niterói se posiciona à frente de uma câmera, em casa mesmo, muitas vezes com a louça por lavar atrás, e fala sobre toda e qualquer coisa que considere, ao mesmo tempo, interessante e divertida. Se você acha que a receita parece repetida é porque, com certeza, ainda não assistiu aos vídeos. A graça fica justamente no jeito como Julia apresenta seus assuntos. Tem uma pegada de comédia stand up com uma pitada de repente nordestino, aquele que vai inventando a música na hora.

A melhor parte do canal é, com certeza, ele conseguir se manter longe dos clichês mesmo lidando com assuntos que são vastamente cobertos por blogers, vlogers e comediantes no geral. Não é à toa que, de repente, com um vídeo especialmente bom (NÃO TIRA O BATOM VERMELHO – assim, em letras garrafais mesmo), Julia atingiu 300 mil views (e contando!). Foi através dele que tivemos acesso a ela e dali foi impossível não clicar em diversos outros. O vídeo que a alçou ao hall de celebridade da internet é justamente um dos mais sérios, mas não com menos tiração de sarro, ali ela fala sobre formas de relacionamentos abusivos incluindo nesse pacote coisas que muitas vezes "esquecemos" que é abuso. Em entrevista à Tpm – não antes de nos deixar uma semana esperando por um horário em sua agenda – disse: "Não pensava, nem por um segundo, que seria assim. O mais legal foi que só recebi resultado positivo. Ninguém veio me falar 'Isso aí que você falou tá errado, isso não existe não'. Muita gente se identificou".

 

Quando fez os primeiros vídeos, lá em maio de 2014, Julia mantinha seu canal fechado. Fazia as esquetes pra si mesma, como forma de se expressar, e mandava pra as amigas. "Até que um dia uma amiga me ligou e disse: 'Ô Julia, vamos parar com essa palhaçada e deixa aberto pro mundo ver'?". E foi assim que, vídeo a vídeo, Jout Jout foi ganhando a internet na contramão das centenas de vlogs dedicados a maquiagem e a como ficar linda. Como boa comediante, ela não se preocupa com a estética. Usa roupas simples, muitas vezes com cara de quem está em casa largada no sofá e raramente está de maquiagem.

As inspirações pra começar o Jout Jout, Prazer vieram de duas vloggers norte-americanas. "Um amigo me mandou um vídeo de uma garota falando coisas aleatórias e muito engraçadas pra uma câmera, era a Grace Helbig". Foi de Grace que Julia pegou o formato de "conversa entre amigos" de fazer vídeos. "E tem também a Jenna Marbles, que é a maior vlogger mulher do Youtube, com mais de 14 milhões de inscritos em seu canal. Ela me inspira no sentido de não me importar muito com o formato. Eu to aqui falando, você tá aí vendo e tá tudo bem."

Agora que o canal está atingindo a marca de mais de 42 mil inscritos, Julia começou a receber propostas de parcerias e projetos – pedidos de vídeos e pitacos ela já recebe há tempos. "Eu tô num momento de transição sobre 'o que faço da vida’. Já fiz estágio, freelas, mas essa semana começaram a surgir novas propostas. Estou caminhando pra uma vida só com vídeos e coisas relacionadas". Hoje, Julia postou seu "primeiro merchan-fucking-dising", como ela mesma chamou. No vídeo comemora a primeira entrada de grana e... tira sarro de si mesma, sua especialidade.

Mesmo sendo jornalista de formação, ela conta que nunca pensou em trabalhar na frente das câmeras. "Só fui lá [na faculdade] pra conhecer Caio mesmo". Caio, seu namorado, é um personagem tão frequente quanto onipresente de seus vídeos. Nunca mostra a cara, mas muitas vezes fala alguma coisa ali atrás da câmera. Durante a entrevista, por Skype, ele também esteve ali: "Caio, busca o carregador do computador"; "Caio! Olha a Margot [a cachorra], ela pegou uma casinha de marimbondo"; "Caio, o marimbondo não tem mais casinha! Ele tá triste, não vou ficar aqui". Santo, Caio, ela faz questão de frisar. Outra colaboração de Caio foi o nome do canal. "Ele tinha essa de me chamar de Jout Jout. Aí coloquei lá no youtube 'Jout Jout' e o youtube falou 'esse nome não é bom, aumente esse nome'. Então fui lá e coloquei: 'Prazer'. E ficou assim, 'Jout Jout Prazer'."

Clica lá:

Vai de copinho
Não tira o batom vermelho!
9 coisas que vocês não sabem sobre nós
O que vivi no Tinder
11 coisas que não sabemos sobre vocês
Gente bonita, saudável e esclarecida

matérias relacionadas