por Daniela Arrais

A quantidade de tempo que você passa online está diretamente ligada à sua saúde. Saiba como melhorar essa relação

Para esta semana, decidi: só vou olhar o Instagram depois do meio-dia. Já faz um tempo que tento desligar o despertador sem deixar meus dedos correrem automaticamente para o ícone da rede social, que, ao ser aberta, leva nanosegundos para me mostrar exatamente aquilo que mais quero ver: posts de quem mais interajo. Às vezes é apenas uma foto bonita. Ótimo. Em outras é a repercussão de algum absurdo dos tempos em que estamos vivendo. Indigesto. E ainda temos as conquistas alheias, da ioga no parque às 7h da manhã a uma palestra para mil pessoas, o que aciona aquele modo comparação. 

LEIA TAMBÉM: Como o mindfulness traz resultados surpreendentes para nossa saúde

Nem acordamos direito ainda, mas já sentimos diversas emoções a partir das vidas dos outros. Se pensarmos brevemente sobre o assunto, é fácil chegar à conclusão de que não faz sentido. Ainda assim, as redes são construídas de uma forma tão irresistível que se torna natural acessá-las sem pensar nos efeitos que elas produzem no dia a dia e no nosso bem estar. 

Apesar de levarmos a relação no automático, já conseguimos observar que, para quem usa muito a internet tanto para trabalho quanto para vida pessoal, a reflexão tem se tornado mais frequente. Falar dos hábitos digitais é tentar navegar de forma mais ativa e consciente nesse mar de excessos em que vivemos. Fazemos um detox digital e conseguimos nos desconectar. Olhamos quantas horas passamos por dia no celular – e ficamos surpresos. Já viu a sua? No iPhone, vá em Ajustes e em seguida em Tempo de uso. Ou baixe o app Moment, tanto para iOS quanto para Android – ele monitora até quantas vezes você pega o celular em um dia. 

LEIA TAMBÉM: Por que a síndrome da impostora afeta tanto as mulheres?

A questão, no entanto, é mais ampla: como criar hábitos digitais mais saudáveis? Pensamos em um quiz rápido para te ajudar a entender se, hoje, a relação com a internet é uma questão pra você. É fácil: marque um ponto para cada sim que disser às afirmações abaixo: 

Se você marcou mais de 2 pontos, bem-vindo ao clube de quem vai se beneficiar ao repensar seus hábitos digitais.

 

Há anos penso e pesquiso sobre o assunto e vou dividir com vocês algumas percepções – minhas e de outras pessoas que estão imersas no mundo digital há anos e também se preocupam com isso – que ajudam a ter uma relação positiva com a internet. Já adianto a principal resposta: precisamos nos reeducar e retomar o controle do nosso tempo. E, também, trazer a conversa sobre a nossa relação com a internet para o dia a dia, escolhendo ser menos reféns e mais protagonistas, e usando o digital com consciência. 

Conecte-se com você...

Toda mudança começa dentro da gente. Você tem conseguido olhar para você, para as suas necessidades, sonhos e vontades? Todos temos as mesmas 24 horas por dia. Às vezes, reclamamos que não temos tempo para fazer o que mais queremos. Mas será mesmo que não temos mesmo ou só estamos distraídos olhando o feed do Instagram por horas? Crie momentos no seu dia para olhar para você, para praticar o silêncio, buscar respostas. Lembre-se sempre de ser sua maior prioridade. 

 ...para depois se conectar com o mundo

Quando estamos conectados com nós mesmos, fica mais fácil de estabelecer essa conexão com o outro, com o que acontece no mundo. É impossível dar conta de tudo, saber de tudo, mas acaba ficando mais fácil entender o que nos toca, o que nos comove, o que nos motiva a agir. 

Faça uma boa curadoria

Preste atenção em quem você segue, no que você quer depositar sua atenção. Seu tempo é uma moeda preciosa. Onde você vai escolher investir? "Precisamos aprender a fazer filtro, entender o que é necessário acompanhar e nos livrar das distrações. Aquela marca que deixou de ser inspiração, que gera falsas necessidades; aquelas pessoas que seguimos por guilty pleasure. Podemos construir uma relação saudável a partir do autoconhecimento", reforça Ly Takai, que trabalha com branding e há mais de uma década atua com posicionamento e gestão criativa e estratégica de negócios criativos. É importante lembrar disso de tempos em tempos, observando sua própria curadoria, tirando umas pessoas, acrescentando outras. Às vezes, é importante deixar a etiqueta de lado e parar de seguir quem não te faz bem. Ou, pelo menos, silenciar quem você não quer ver tanto, mas ainda não consegue dar unfollow.

Fure a sua bolha

Lembre-se, também, de tentar usar a internet para furar sua bolha. Você segue só quem é parecido com você? Só os amigos? Se passamos tanto tempo nas redes, é interessante também fazer desses espaços lugares de aprendizado. Seguir pessoas diferentes de você é uma oportunidade para aprender sobre um assunto, para ter acesso a pontos de vista diferentes. 

Experimente uma dieta de informação

Memes e vídeos de bichinhos são a internet no seu lado mais divertido e fofo, sem dúvida. Parece que, para lidar com o caos do mundo, a gente precisa desse tipo de conteúdo. Mas não só. De novo, já que passamos tanto tempo conectados, que tipo de informação escolhemos consumir? "Nós precisamos entender que não temos que dar conta desse tanto de informação. Nós não vamos morrer de ficar sem ler um texto, um post. É importante a gente ressignificar esse acesso", explica Ly Takai. Ou seja: não fique refém das notícias do dia durante todo o dia. Sei que tem hora que parece que não vamos aguentar. Mas é importante fazer uma dieta da informação, equilibrando os "nutrientes" digitais.

Pratique mais Jomo e menos Fomo

Você já ouviu falar no termo Fomo (fear of missing out)? Significa o medo de estar perdendo alguma coisa. Você está feliz vendo seu seriado, abre o Instagram, vê cada amigo em um lugar e já sente aquela taquicardia. De novo, olhar para suas necessidades pode ajudar nisso. Praticar o Jomo (joy of missing out), também. O termo significa alegria por estar perdendo algo. É quando você está tão conectado com você mesmo que não importa o que os outros estão fazendo e, sim, que você está no lugar onde queria, com quem queria, fazendo o que desejava. 

Experimente um detox digital

Já pensou em passar um fim de semana longe do celular? Pode parecer distante, mas afirmo com convicção: é muito útil! E isso ainda ajuda a entender mais sobre seus hábitos. Tente começar com um dia por semana sem celular. "Se não der para fazer o dia todo, tente uma manhã ou uma tarde", conta  Rafa Cappai, artista, escritora, empreendedora e educadora que ajuda pessoas a terem uma vida e um trabalho mais criativos. Assim que esse tempo off começar, talvez você fique procurando o celular a todo instante, entediado ao não ter o que olhar. Mas tudo isso te dá pistas para entender como você vem usando a internet. Na volta, a chance de tecer uma relação mais equilibrada aumenta. "Fazer detox mais longos, de tempos em tempos também, ajuda. Já fiz um de cinco, outro de 30 dias. Às vezes, até adianto os posts, deixo agendados, e só na volta vejo os comentários", completa Rafa.  

Deixe o julgamento de lado

Quantas vezes você deixou de postar um texto porque achou que ninguém iria ler? Ou uma foto porque não estava boa o suficiente? Ou ainda não quis expressar um pensamento porque achou que outros já tinham feito isso? As redes sociais nos colocam num lugar constante de comparação. E, muitas vezes, desistimos de nos expressar. Que tal se a gente tentar se julgar menos? Usar a internet para colocar nossas ideias é um presente que nos damos – e, muitas vezes, nos surpreendemos com a resposta dos outros. 

Leve a conversa para mais gente

Se você se sente meio bobo de pensar que o excesso de uso da internet pode ser uma questão na sua vida, saiba: você não está sozinho. Estamos cada vez passando mais horas na internet. É claro que isso vai gerar impactos. Por isso acredito que quanto mais conversarmos sobre o assunto com outras pessoas, mais vamos conseguir entender melhor esse fenômeno coletivo - e achar saídas para um uso mais saudável.

 

E na prática, o que podemos começar a fazer?

_ Experimente deixar o celular no modo avião a partir de uma determinada hora da noite. No meu caso, gosto de fazer isso por volta das 21h, assim vou desligando a cabeça aos poucos antes de deitar.

_ Tente sair do modo avião só depois de um tempo já acordado, passando uma hora, pelo menos, sem estímulos digitais. Gosto de aproveitar esse tempo pra ler um livro, ou para já encaminhar a tarefa mais importante do dia. É impressionante como o trabalho flui melhor e mais rapidamente)

_ Experimente deixar o celular no modo soneca/não perturbe quando precisar se concentrar em uma tarefa. Aliás, desligue as notificações sempre que possível. ""É simplesmente impossível se manter são com notificações o tempo todo. Use as mídias sociais no seu tempo", defende Rafa Cappai. Você vai ver como a ausência mensagenzinhas pulando na sua tela ajuda na concentração e na diminuição dos seus níveis de ansiedade.

_ Compre um despertador analógico. Assim, dá para deixar o celular carregando na sala, e não na cabeceira da cama, o que também te proporciona um momento desconectado.

_ Defina quanto tempo você quer passar navegando na internet por dia, coloque um limite de tempo de uso das redes sociais e, ao terminar o expediente de trabalho, evite checar seus e-mails. Criar essa rotina pode parecer difícil no começo, mas ajuda a programar sua cabeça para os momentos de trabalho e os de lazer

_ Ligue mais para as pessoas próximas, use mensagens como ponte para marcar mais encontros ao vivo

_ Tome cuidado com as informações que você compartilha. Em tempos de fake news, vale seguir fontes de informação confiáveis.

_ Lembre-se de dizer "oi", "bom dia", "tudo bem", "por favor" e "obrigada" na internet também. A gente tem uma relação de interagir com os outros nas redes sociais esquecendo um pouco a etiqueta. "Quanto custa, de onde é, como faço?" Então, lembre-se que tem gente do outro lado e vale sempre ser educado. Não é porque a comunicação é instantânea ou mais rápida que esse tipo de cuidado não faça diferença. 



* Daniela Arrais é jornalista e sócia da @contente.vc, estúdio de criação que trabalha para promover uma conexão genuína e uma vida digital mais atenta e consciente, construindo coletivamente #ainternetqueagentequer.

Créditos

Imagem principal: Carol Ito

fechar

Entre em contato
com a trip


fale conosco

PABX +55 (11) 2244-8747
Caixa Postal: 11485-5
CEP: 05414-012
São Paulo - SP

atendimento ao assinante

SP (11) 3512-9465
BH (31) 4063-8433
RJ (21) 4063-8482
das 09h às 18h
assinaturas@trip.com.br
 CENTRAL DO ASSINANTE 

ou se você preferir:

e-mail inválido!
mensagem enviada!
fechar

Assine


E leve ousadia, moda, irreverência,
comportamento, inspiração.
Tudo isso com coerência, profundidade
e um olhar que só a Trip tem.

trip

Desconto de 25%

11 edições
R$ 98,18
6 x R$ 16,36

Capa Conceito

assinar

11 edições
R$ 98,18
6 x R$ 16,36

Capa Trip Girl

assinar

trip

Grátis um super relógio

22 edições
R$ 261,80
6 x R$ 43,63

Capa Conceito

assinar

22 edições
R$ 261,80
6 x R$ 43,63

Capa Trip Girl

assinar
fechar