por Karina Buhr
Tpm #98

Ele clama ”pelo destravecamento da fêmea”, entre outras pérolas

Em Chabadabadá, novo livro de Xico Sá, o escritor clama “pelo destravecamento da fêmea. Pela Mulher Comfort”

 

Era madrugada, eu dormindo, o celular treme. Atendo e escuto uma voz semiconhecida e bêbada cantando “Desterro”, de Reginaldo Rossi. Era Xico Sá! Ele é amigo dos amigos e já era tempo de conhecê-lo. Isso foi ano 2000, talvez.

O novo livro de Xico é todo temperadinho, pra deixar todo mundo derretido de paixão. “Nunca foi tão difícil ser homem”, e a gente até acredita, afinal, foi Xico que disse! E fica a vontade de gritar, como faço tantas vezes em shows da Nação Zumbi, quando rola um “Chico Science! Chico Science!” e entoo junto “Xico Sá! Xico Sá!...”. Delícia!

O livro? Pérolas reluzentes no percurso inteiro. Ele clama, entre tantos outros clamores doces, no meio da azedice da vida geral, “pelo destravecamento da fêmea. Pela Mulher Comfort”. Os machos andam perdidos e as fêmeas, umas se achando, outras tentando se achar. Ah! Com “Do Riso e do Esquecimento do Fim”, página 194, chorei.

Vai lá: Chabadabadá – Aventuras e desventuras do macho perdido e da fêmea que se acha. R$ 37,90*, ed. Record


* Preço pesquisado em abril de 2010

 

matérias relacionadas