por Flora Paul

Falamos com as blogueiras do Superziper, blog de duas amigas que ensinam a arte do craft

Andrea Onishi e Cláudia Fajkarz, amigas do tempo da faculdade, sempre foram muito inventivas e resolveram entrar no mundo on-line para falar mais de seus hobbies criativos. Em 1997, quando o conceito de blogs ainda era coisa do futuro, Cláudia começou um caderno virtual com receitas fáceis e rápidas para fazer doces. Já Andrea, interessada por tricô, inspirada em sua mãe modelista profissional, começou a postar sobre o assunto na internet, nos idos de 2004. A vontade de mostrar suas invenções e conversar com quem também se interessasse foi crescendo cada vez mais, até que as duas perceberam que tinham em comum o hábito de criar coisas manualmente e se juntaram em um blog sobre crafting, o Superziper.

Dois anos depois do ínicio, o blog cresceu. Só no último mês, recebeu 60 mil visitas e agora extrapola os limites virtuais: elas fazem encontros com leitoras para trocar técnicas. Amélias modernas, são formadas em propaganda e marketing e trabalham em portais na internet, mas pensam em craft 24 horas por dias: “Sou daquelas que ficam malucas em papelarias, na 25 de Março e até em lojas de ferragens. Vejo ideias inusitadas e fico pensando 'por que eu não pensei nisso antes?'. Estou sempre atrás de coisas novas!”, conta Cláudia.

Conversamos um pouco com as duas sobre o retorno do interesse em fazer as próprias coisas, ganhar dinheiro na internet e o mundo da arte manual.

Como começou o interesse por craft?
Assim como muita gente que faz crafts, a gente cultiva esse hobby desde criança, com atividades sempre ligadas a qualquer coisa manual ou artística. Desenhar, costurar, improvisar, testar novas ténicas. Tínhamos certo conhecimento básico das técnicas e, depois de adultas, começamos a nos aperfeiçoar em encontros, pela web, lendo livros, assistindo a vídeos e lendo dicas em sites.

Como surgiu ideia de fazer um site sobre isso?
Éramos amigas desde a época de faculdade e ela era a pessoa mais craft que eu conhecia. Chegou num ponto em meados de 2006 em que nós só falávamos sobre crafts, coisas que a gente queria fazer, projetos, ideias. Resolvemos então escrever um blog juntas para mostrar nossas ideias e ver se através da web atraíamos gente com os mesmos interesses. Tinha também o fato que surfando na internet a gente via muito blog de craft estrangeiro, mas nenhum realmente falando com as crafters brasileiras de um jeito mais moderno e jovem, com a nossa cara. Gostamos de inventar, testar e depois dividir ideias para as outras pessoas se inspirarem e saírem fazendo as suas próprias criações. O blog é o espaço onde ensinamos, mostramos o que estamos fazendo e compartilhamos informações.

Vocês acham que a arte de produzir as próprias coisas está voltando?

Sim, é uma tendência mundial forte. Ser crafter definitivamente está na moda hoje, mas não acho que seja passageiro, acho que é algo que esta geração está tomando gosto agora e vai cultivar até o fim. As meninas estão loucas pra aprender a costurar, fazer crochê, tricô e não acham isso coisa de vovozinha. A diferença são os projetos. Quase ninguém mais quer fazer barrinha de pano de prato. O legal agora é poder criar objetos inusitados, fazer toy art de crochê, bolsa pra notebook, capinha de iPod. Acho que vem do prazer de criar algo com as próprias mãos e poder ter algo diferenciado e pessoal em um mundo que está cada vez mais massificado e impessoal.

Como é a relação de vocês com as leitoras do blog?

Nossa audiência é crescente, até nós ficamos surpresas às vezes. A troca é muito legal, pois o blog reúne gente que já vive de crafts e também meninas que estão começando a dar os primeiro passos, comprou a primeira máquina de costura mas nem sabe como colocar a linha. Tem espaço pra todos. Recebemos uma média de cem e-mails por mês, além de comentários no blog, e ainda temos um fórum, onde mais de 2 mil pessoas discutem projetos, tiram dúvidas e sugerem pauta para o Superzíper.

Já pensaram em começar a vender as coisas que ensinam a fazer no site?
Não, nossa ideia é criar uma comunidade pra unir gente que goste de crafts. Seria bárbaro poder viver só do Superziper, mas é difícil monetizar blogs, todo mundo sabe. Agora que o site está bem maduro, já começamos a vender espaço publicitário para crafters independentes. Mas temos empregos em horário integral. Fazer crafts e escrever pro Superziper é um hobby, acaba ocupando nossas noites e nossos fins de semana. Mas a gente fica 24 horas pensando em crafts.

Quais os próximos planos para o Superziper?
Queremos nos próximos meses sair do Blogger e migrar para outra plataforma de publicação para dar uma cara mais profissional ao blog. Também queremos investir em conteúdo multimídia, fazer mais vídeos sobre tricô. Começamos a mostrar como fazer crochê e foi um grande sucesso, mas produzir vídeo ainda dá bastante trabalho de pré e pós-produção. Ah, e temos ideia para livros de craft também!

Vai lá:
//superziper.blogspot.com

matérias relacionadas