Ativista da paz

Aos 5 anos de idade, ele foi reconhecido como a reencarnação de um iogue e mestre tibetano. Aos 12, começou na vida monástica: por 11 anos, viveu em um monastério na Índia, para receber a formação dedicada aos Lamas – e para estudar Budismo, Tantra, medicina e astrologia. Hoje, aos 34 anos, Lama Michel orienta centros budistas na Itália e o Centro de Dharma da Paz, em São Paulo. Presidente da Fundação Lama Gangchen para a Cultura de Paz, divide seu tempo entre a casa na Itália e as viagens pelo mundo para dar sequência ao trabalho de seus mestres, compartilhando conhecimento com o intuito de ajudar as pessoas a ter uma visão mais clara da vida e, assim, eliminar o sofrimento. Autor dos livros: Uma ideia de paz e Coragem para seguir em frente, ele diz que o sentido da vida está no processo de escutar, refletir, compreender e compartilhar. E assim chegar à felicidade.

Patrocínio

Copatrocínio

Apoio

Comunicação