por Redação

O jornalista Caio Dib viajou o país para investigar a situação da educação

“Você tá mesmo a mil por hora!”, alguém comentou na página do Facebook do Caindo no Brasil. A definição é mesmo muito boa para Caio Dib, criador do projeto. Com apenas 22 anos ele já é dono de um longo currículo de realizações. Não é por menos. Ele começou cedo, voltado sempre para a área de comunicação e educação fez um curso básico no colegial e chegou à faculdade. “Logo tinha quatro freelas fixos”, diz Dib.

Quando se viu preso em um escritório por dois anos escrevendo conteúdo educacional voltado para o Nordeste a reação não podia ser outra. Aquilo não fazia muito sentido. “Escrevia com a mentalidade de São Paulo. Precisava abrir a cabeça.”

Pensando nisso veio a ideia do Caindo no Brasil, um projeto pessoal que consiste em uma longa viagem pelo Brasil para conhecer o país em si e de quebra suas escolas, projetos educacionais e personagens. O plano era passar por 50 cidades, uma “meta” já batida. “Nem em todas as cidades eu visito escolas. Procuro as que buscam criatividade e tem modelos alternativo, mas isso nem sempre acontece”.

Com uma parceria entre as revistas Educação e Escola Pública, a iniciativa foi parar no blog Escolas do Brasil, onde Dib faz posts detalhados sobre as escolas que conhecem.

Nessa parte nem todas as histórias entram. Por exemplo, Monique Evelle, uma garota de Salvador que cuida do Desabafo Social na Ponta dos Dedos. “Ela me inspirou. É uma menina nova e muito engajada, tem milhares de projetos e faz a diferença na rua”.  

A maior lição tirada de tudo, afirma Caio, é o diálogo. Por onde ele passou notou que a conversa resolvia tudo, até quando o papo não era educação. “Um cara em Goiânia me abordou na rua: 'E a manifestação, hein'? Troquei ideia com ele e conheci melhor a cidade onde não houve esse diálogo."

Com o fim das viagens agora no segundo semestre ele não para. Dib prepara dois livros, um sobre a viagem como um todo e um segundo voltado, tudo isso equilibrado com palestras e freelas que garantem a grana.  

Depois? Hora de conhecer São Paulo. Por ser da cidade, Dib ignorou São Paulo em um primeiro momento e vai se debruçar somente nela. “Um projeto mais permanente e organizado que dure anos”.

Vai lá: Escolas do Brasil: www.escolasdobrasil.blog.br
Facebook: www.facebook.com/caindonobrasil

 

matérias relacionadas