por Alexandre Potascheff

O diretor e ex-publicitário falou sobre sua trajetória e seu recém-lançado filme À Deriva

Heitor Dhalia nasceu no Rio de Janeiro, em 1970, se mudou para Recife com alguns meses de vida. Em 1993 trocou as ensolaradas praias pernambucanas pelo cinza do escritório quando veio para São Paulo atuar no mercado publicitário. Como redator, trabalhou nas principais agências de publicidade da cidade e produziu centenas de filmes na área. Há 10 anos resolveu apostar em sua verdadeira paixão, o cinema, e foi assistente do diretor Aluízio Abranches no filme Um Copo de Cólera, de 1999. Em 2004 lançou Nina, que embora fosse sua estréia na direção de longas-metragem, foi muito bem recebido pela crítica e teve participação de atores de peso, como Wagner Moura, Selton Mello, Lázaro Ramos, Matheus Nachtergaele, além de Guta Stresser, a Bebel, do seriado A Grande Família, da Rede Globo, como personagem principal.

Em 2006 veio o segundo longa, O Cheiro do Ralo, baseado no romance de mesmo nome do quadrinista Lourenço Mutarelli. No mês passado ele lançou seu terceiro longa, À Deriva, que está encantando críticos e platéias por todo o mundo .Hoje Heitor Dhalia está abrindo sua própria produtora, a Celluloid Dreams Brasil, braço nacional de uma importante produtora e distribuidora internacional de filmes.

Entrevista: Felipe Perrone

No programa, você ainda ouve trechos da entrevista que o editor do Trip Fm, Alexandre Postascheff, fez com o jogador de pólo aquático Felipe Perrone. Aqui no site você confere a conversa na íntegra.

O Felipe tem 23 anos e é um dos melhores, se não o melhor, jogador de pólo aquático do Brasil. Depois de treinar muito tempo no Rio de Janeiro e de defender a seleção brasileira entre 2001 e 2004, Felipe se mandou, aos 17 anos, pra Espanha, onde conquistou diversos títulos e onde foi, em 2006, considerado um dos 5 melhores atacantes do mundo. Naturalizado espanhol, hoje o Felipe defende o Club Natació Atlètic Barceloneta e, desde 2005, a própria seleção espanhola. O Felipe está aqui no Brasil para dar uma Clínica no Esporte Clube Pinheiros, onde vai passar toda sua experiência no pólo aquático e angariar recursos para o projeto Oficina na Piscina. Idealizado pelo engenheiro e jogador da seleção brasileira Erik Michael Seegerer, em parceria com o Clube Escola da Secretaria Municipal de Esportes, Lazer e Recreação de São Paulo, o projeto está ensinando centenas de crianças carentes a nadar, para numa segunda etapa, democratizar e utilizar o pólo aquático como ferramenta de educação.

matérias relacionadas