por Rita Lisauskas

Campanha mostra mulheres amamentando em banheiros para levantar discussão de amamentação em público

Uma campanha iniciada por estudantes da Universidade do Texas escancara a dura realidade vivida não só pelas mães americanas, mas por mães de todo o mundo que acreditam que amamentar seus filhos é o melhor a se fazer pela saúde deles. As fotos retratam a escolha que algumas são obrigadas a fazer: dar o peito aos bebês escondidas dentro de banheiros. “Você comeria em um lugar como esse?”, é a pergunta que não quer calar e que aparece em todos os cartazes. A campanha e as fotos foram pensadas e executadas por dois estudantes da Universidade do Texas como parte de um trabalho universitário em apoio a uma lei estadual ainda não votada, mas que pretende garantir que as mães possam amamentar seus filhos sem serem molestadas ou assediadas. “Procure seu deputado para que ele apoie as mães que amamentam, porque um bebê não pode ser amamentado apenas quando você encontra um banheiro”, diz a campanha.

Os anúncios estão sendo colados nas portas dos toiletes para que todos comecem a refletir sobre o assunto. Algumas mães, cansadas do assédio, olhares e atitudes de reprovação vêem o banheiro como o único lugar onde podem amamentar em paz. Existem leis em 45 estados americanos que garantem à mãe o direito de amamentar em público, mas na maioria deles não existem formas de a mulher processar quem a discriminar ou assediar.

Aqui no Brasil as mulheres têm se movimentado realizando os chamados “mamaços” – dezenas de mães com seus bebês se reuniram em parques e praças de algumas capitais para exigir o direito de amamentar em público depois de uma série de incidentes e proibições . Na Espanha uma jovem marroquina perdeu a guarda da filha sob a acusação de “amamentá-la demais”. Na Inglaterra uma mulher foi convidada a se retirar de um pub só porque estava dando de mamar para o filho. Ou seja, o preconceito é mundial. Um lembrete: a função número um dos seios desde que o mundo é mundo é essa: amamentar. Então por que tanta histeria?

Vai lá: http://whennurturecalls.org/index.html

(*) Rita Lisauskas é jornalista, mãe do Samuel, madrasta do Lucca e do Raphael e mulher do Sérgio. Não necessariamente nessa ordem. Desde 2013 mantém o blog Ser mãe é padecer na internet, que vai estar quinzenalmente no site da Tpm http://vilamamifera.com/padecernainternet // Fanpage: www.facebook.com/padecernainternet 

matérias relacionadas