por Tania Menai

Sábado, show do Roberto Carlos, ingresso de imprensa, par com o fotógrafo Adriano. Já tínhamos entrevistado o Rei na quinta-feira e a idéia era apenas acompanhar o show. Mas, "pensei que era moleza mas foi pura ilusão assistir ao show sem gastar nenhum tostão": vinte minutos antes das oito horas (horário que o show estava previsto para começar) recebi o pirmeiro text message (das dezenas, dezenas, dezenas, que viriam mais tarde) dizendo que o a mãe do cantor, Lady Laura, havia falecido quase duas horas antes. Sem saber o que dizer, imaginei que o show não aconteceria. Esperamos a notícia ser confirmada (os editores me mantendo informada, os demais repórteres se comunicando via celular dentro do teatro), quando a cortina se abre e entra ele, cantando normalmente.

Não acreditei. Ou ele não sabia, ou estava dopado, ou era o cara mais profissional do planeta. O show continuava e, a essas alturas, eu não prestava mais atenção em nada. Quando ele disse: "ela estava me preocupando, mas deu uma melhorada e agora está bem melhor" e começou a canta Lady Laura, vi que ele não sabia de nada. Passei a informação para o Brasil e passei a me sentir culpada por estar lá, sabendo da morte da mãe dele, e ele não. O público, nem tinha noção, mas vários lanterninhas já sabiam.

Ao final do show, ele saiu do palco e, em vez do bis, o maestro entrou novamente com voz trêmula de quem está segurando o choro e disse:"a gente ia dar um bis para vocês, mas o Roberto Carlos acaba de saber que a mãezinha dele faleceu. Nos resta aplaudir o Roberto e a Lady Laura". Como canta o rei..."com palavras não sei dizer", o que senti naquela hora. Salve este maestro.

 

matérias relacionadas