por Marcela Ferri

Para você que pensou que isso não seria possível...

 

Um dos grandes dramas da vida londrina é o valor absurdo dos aluguéis.

Lembro que, quando decidi me mudar, fiz uma pesquisa gigantesca, tive 3 paradas cardíacas, achei a solução, mas dentre todas as opções que encontrei, a mais curiosa foi morar em um barco.

Ai você pergunta... UM BARCO???

Sim, um barco.

Confesso que desisti quando lembrei de um episódio em um barco de um amigo no Rio em que passei mal, mas enfim... Era uma "modalidade" que não conhecia e que acho das coisas mais incríveis que tem.

Além do rio principal, Londres é cheia de pequenos canais interligados ao Thames e, se você pegar um dia para andar por eles vai achar os tais barcos aos quais estou me referindo.

A maioria deles é residencial mas você também encontra um que é biblioteca, outro que é brechó e alguns que são cafés. Se tem uma coisa que vale a pena fazer é pegar um dia de Sol (aproveitando a chegada da primavera) e dar uma volta pelo canal e prestar atenção nos detalhes dessas casas flutuantes.

Uma das coisas que questionei quando descobri esses barcos foi sobre segurança e legislação (lembrem, sou de São Paulo, não tem como não ser paranóico com segurança...). Aí descobri que existem taxas e milhões de regrinhas a serem seguidas, coisas que você consegue achar no site do Directgov (que é um site do governo em que você acha informações sobre absolutamente tudo) e que também tem as Associações (porque, como aqueles acampamentos de trailers que passamos a infancia vendo nos filmes da Sessão da Tarde, é essencial que você faça parte de uma delas).

É muito legal ver como essas comunidades são organizadas e como essas pessoas se ajudam.

Outra coisa que vale lembrar é o inverno. Lembro que inverno passado, quando o canal estava congelado, que eu passava pelos barcos e pensava: MEU DEUS DO CÉU! Não existe o conforto do aquecimento que temos dentro de uma casa convencional, pelo que entendi eles têm aquecedores pequenos elétricos e alguns tem pequenas lareiras.

Se você não é daqueles frescos que passa mal em barco como eu, e tem um sonho secreto de infância em se tornar um capitão de navio, vale a pena pensar. ;) (e logo abaixo tem uma galeria de fotos que eu tirei de barcos residenciais pra você ter uma ideia do que estou falando)

 

(In loving memory of Mr. Eugênio Ferri)

matérias relacionadas