por Ana Manfrinatto

Ahã, aqui na Argentina uma fruta inocente causa polêmica por onde passa!


Se tem uma fruta polêmica na Argentina, esta fruta é a mixirica. Ela provoca reações e comentários por onde passa e comer uma mandarina (como aqui é chamada) em público, coisa mais normal do mundo, significa não passar incólume. 

Desconheço a razão, mas funciona da seguinte maneira: toda vez que un ser humano começa a descascar uma mixirica em lugares como o refeitório da firma, por exemplo, ele pergunta se alguém se incomoda com o cheiro.

A paranoia é tanta que uma amiga me contou que, quando era pequena, a mãe dava os gominhos pra ela com o garfo para que o bouquet de notas cítricas não impregnasse a sua mão. Na boa: tem coisa mais gostosa que cheirinho de limão, laranja, mixirica?

Eu tive uma chefe – dessas executivas altas, magras, solteiras, de mini saia full time e viciadas em Rivotril – que dava piti cada vez que entrava num escritório cheirando a mandarina. E fazia questão de saber quem é que tava comendo.

Sem falar que tem gente que acha que as pessoas e/ou lugares com o aroma dessa fruta tem “cheiro de boliviano”. E os bolivianos, assim como os peruanos, são imigrantes que sofrem pencas com o preconceito aqui na Argentina.

Eu obviamente não dou bola pra nada disso: não pergunto se os meus companheiros de trabalho se incomodam e tô feliz da vida porque começou a época de mixirica aqui em Buenos Aires. Aliás, tem uma sem caroço que eu amo!

Ah, outra coisa, a fruta inocente está presente em todos os pepinos e abacaxis do país. Isso mesmo: quando alguém tem um problema nessas bandas, em vez de “descascar o abacaxi” ou “resolver o pepino”, tem mais é que “chupar a mandarina”.

Fica a dica pros turistas que estiverem vindo pra cá por esses dias. ;-)

matérias relacionadas