por Letícia Flores

Trio lésbico lança livro com visões bem humoradas sobre homossexualidade

A mestre em Literatura Brasileira Lúcia Facco, a escritora Laura Bacellar e a advogada e graduada em Rádio e TV Hanna Korich são mulheres com algo em comum: as três se interessam por mulheres. De tão bem resolvidas que são decidiram extravasar o bem estar em comum por conta da opção sexual e acabam de lançar Frente e Verso, um livro que reúne diferentes visões da lesbianidade.

Lançado pela  Brejeira Malagueta, uma editora dirigida por mulheres homossexuais focada em publicar escritoras homossexuais, o livro é uma coletânea de artigos sobre suas experiências de vida. Lúcia Facco define o livro da seguinte forma em sua apresentação: "A minha parte deste livro nasceu da coluna Frente e Verso, assinada no site Parada Lésbica. Nela encontram-se reflexões provocadas por experiências pessoais, leitura de notícias, 'causos' ouvidos de terceiros, situações presenciadas ou vivenciadas." Entre os temas, casamento, literatura, cultura, filhos, namoro, autoestima e homofobia não ficam de fora, sempre sob o olhar de mulheres que, assumidamente, amam mulheres.

Hoje, às 18h30, acontece na Livraria Cultura do Conjunto Nacional, em São Paulo, a noite de autógrafos de Frente e Verso. Antes de partir rumo ao evento, Laura Bacellar bateu um papo com a Tpm sobre o lançamento.

Cada vez mais se fala sobre homossexualidade.
Você acha que o assunto é abordado com a devida intensidade ou acaba sendo feito de maneira superficial?

O assunto parece despertar muitas emoções, mas nem tanta calma e raciocínio. O discurso do pessoal reacionário - que eu juro a você não entender, já que ninguém tem nada a perder quando aceita as minorias LGBT [Lésbicas, Gays, Bissexuais e Travestis] - apela para coisas absurdas como "querem transformar meu filho em gay" ou "são todos uns pervertidos". Quando entra esse tipo de baixaria no discurso, fica difícil falar em respeito pelo outro, pelas diferenças, pela individualidade. Mas é isso o que cidadãos LGBT insistem, e o que outra parcela da população, mais centrada, compreende. Mas infelizmente o que se vê na mídia é mais o tiroteio das emoções sem nexo.

Qual o diferencial do Frente e Verso para outros livros escritos também por autoras lésbicas?
O diferencial é que justamente não há outros livros de artigos de lésbicas. O que deveria ser trivial, mulheres de uma minoria nem tão pequena assim falando de como veem o mundo, acaba ficando único pela total invisibilidade dessas mulheres. O último livro de artigos de uma lésbica a sair publicado no Brasil foi o Grrrls - garotas iradas, de Vange Leonel em 2001. Veja só: dez anos até aparecer alguém para falar do ponto de vista das lésbicas! Este volume reúne nada menos do que três dessas mulheres, e que não querem ser nada invisíveis.


O momento é positivo, no Brasil, para mulheres que gostam de mulheres?
Mais ou menos. Já melhorou muito e eu diria que as mais jovens, pelo menos nas grandes cidades e na internet, encontram referenciais positivos para expressarem o seu afeto e experimentarem sua sexualidade. A cultura dominante, no entanto, tipo escolas, religiões, espaços públicos, ainda é mais homofóbica do que neutra. Mesmo as jovens precisam passar por processos muitas vezes traumáticos até se aceitarem de verdade e conseguirem manter relacionamentos sólidos e felizes. Não é nenhuma sopa no mel ser lésbica ou gay no Brasil, mesmo hoje.

 

Vai lá: Lançamento de Frente e Verso - Visões da Lesbianidade

Quando: segunda-feira, 29.08, das 18h30 às 21h30
Onde: Livraria Cultura do Conjunto Nacional, loja das Artes
Av. Paulista, 2073 - São Paulo
Informações: (11) 3170.4033


Frente e Verso

R$ 35
280 páginas
Editora Brejeira Malagueta

matérias relacionadas