por Ana Manfrinatto

Restaurantes, bares, o que abre e o que fecha e, o mais importante, dicas anti-roubadas pra quem tá colando aqui no fim do ano!


Porque eu sou filho único e tenho minha casa pra olhar, o Nos Ares vai entrar em recesso de fim de ano. Uns diazinhos pra rever a família e amigos, comer purê de mandioquinha, tomar caipirinha e tubaína de garrafa e, sobretudo, descansar.

Mas como eu sei que muita gente cola aqui em Buenos Aires no fim do ano, vou aproveitar pra compartilhar algumas dicas valiosas preparadas pela amiga Mari Pereira – baiana arretadíssima, blogueira e dona do Hotel Querido – e pela Amanda Mormito do Buenos Aires para Chicas.

Elas prepararam um guia com 40 dicas no qual selecionaram restaurantes e barzinhos que estão abertos nas datas festivas e, o que é mais importante, lugares que elas frequentam, conhecem e gostam. Ou seja: lugar pega-turista-caro-e-ruim passa longe dessa lista. Custa R$ 7, o preço de um cafézinho por essas bandas, e dá pra comprar aqui.

E de a dúvida é sobre o clima, costumes e transporte, fiz um copy-paste em outras valiosíssimas dicas da Mari.

1. Como é o clima?
Calor. Calor mesmo. Como no Rio, em Porto Alegre e em Salvador.
Pode até fazer um ventinho durante a noite, mas frio mesmo é improvável. Traga shorts, sandálias, camisetas, protetor solar (sim, andar na rua queima), vestidinhos e um casaquinho leve.

2. A cidade fica mega decorada de Natal?
Não, não fica. Uma arvorezinha de luzes aqui, outra acolá. A que fica perto do Obelisco é super simples. Já a da Galerias Pacífico é pura riqueza. Os shopping investem bastante na decoração. A vitrine da loja infantil Cheeky, no shopping Alto Palermo, é famosa por inovar e criar cenários lindinhos que deslumbram os pequenos e os adultos também.

3. Como os argentinos comemoram o Natal?
No dia 24, à noite, com a família, em uma ceia típica. Todo mundo manda mensagens de texto para os amigos à meia-noite. Depois da meia-noite, o pessoal cai na balada, que pode rolar atééééé a manhã do dia 25. No dia 25, geralmente tem churrasco com amigos e família.

4. E o Ano Novo?
A maioria dos portenhos viaja. Os destinos principais são Mar del Plata e outras praias da costa argentina. Também Punta del Este e outros balneários uruguaios e, adivinha só, o litoral brasileiro. Buenos Aires fica bem vazia. O lado bom: passear por uma cidade mais tranquila. Os que ficam, passam a meia noite do 31 com amigos e família, com ceia típica como Natal (aliás as comidas são bem diferentes das nossas: vitel thoné (prato italiano de carne com molho de anchovas), turrones, matambre, carne de porco e muita sidra geladinha ou um um mega churrasco. Depois saem para bares e boates da Costanera (algumas com vista para o rio). Dia 1 de janeiro, aqui – como em muitos outros lugares – é praticamente o Dia Mundial da Ressaca.

5. O que abre e o que fecha?
Pergunta difícil, porque não tem muita regra. É como no Brasil, acho. Dia 24, a maioria do comércio (incluindo grandes shoppings) fica aberto até de noite. Alguns restaurantes abrem para a ceia de Natal, somente com reserva e com menu fechado, mas a grande maioria fecha. No dia 25 a maioria do comércio fecha. Dia 31, a mesma coisa. Já no dia 1 de janeiro eu diria que a maioria da cidade fecha. Nestes dias, seja prevenido e não conte muito com bancos: faça seus saques e câmbio de moeda antes, para evitar problemas. O Banco La Nación do Aeroporto de Ezeiza abre 24h por dia, todos os dias do ano.

6. O que fazer na cidade durante o dia?
Deixe as compras para outro dia, esqueça. As lojas e shoppings que abrirem, estarão insuportavelmente lotados. Aproveite suas férias para andar no parque, tomar um champanhe em algum bar charmoso de Palermo às 5 da tarde (porque não?), alugue uma bicicleta, ande de pedalinho, tome um sorvete sem pressa para refrescar o calor…

7. E transporte público e taxis?
O transporte público funciona sim, só que com menos frequência. Os taxis, sempre tão disponíveis aqui em Buenos Aires, diminuem consideravelmente. Dia 24, entre as 20h e 02h, é dificílimo conseguir um. Se for sair este horário, prefira ir a um lugar onde possa ir caminhando. A cidade é relativamente segura para caminhar à noite, principalmente por Palermo, Recoleta, Belgrano, Colegiales e Villa Crespo.

8. Vale a pena ver os fogos em Puerto Madero no dia 31?
Passei a virada do ano em Buenos Aires apenas 3 vezes. Geralmente, trabalhando até 19h e depois, pegando cedo no batente no dia 1. Meu Ano Novo aqui geralmente é um jantar gostoso na casa de amigos. Nunca fui até Puerto Madero ver os fogos, já que não temos carro e a coisa do transporte complica. Já ouvi opiniões bem diferentes a respeito. Gente que foi e voltou decepcionada. Vale lembrar que aqui, como em quase todo o mundo, o rèveillon não é lá uma super festa, como estamos acostumados no Brasil. A queima de fogos daqui nem se compara com Copacabana, Sydney ou Nova Iorque, por isso que você nunca vê os fogos de Buenos Aires na TV. Mas tem gente que vai, em um grupo de amigos animado, leva sua bebida e se diverte bastante. Tudo depende do momento e da companhia, né?

Ah! Outra coisa! Aqui não existe esse costume de vestir branco. Aliás, existe em algum outro lugar ou só no Brasil mesmo? A única tradição  ligada a cores da roupa é que as chicas usam lingerie rosa na noite do 31, para atrair sorte no amor! Mas para funcionar mesmo, tem que ter sido um presente, dado por outra mulher, na noite de Natal! Se você estiver vindo a Buenos Aires com namorada, amigas, sogra, irmã ou cunhada, já sabe: bombacha rosada de presente de Natal pra todo mundo.

É issoaê, gente, felices festas pra todo mundo :-)

A fotinho eu tirei hoje de manhã, é da árvore de Natal da Plaza de Mayo, toda decorada com sacolinhas recicláveis – a tendência só chegou aqui agora, veja bem. Lá no fundo, a Casa Rosada.

P.s.: o vídeo abaixo é da minha banda argentina preferida forever and ever, Sumo, em 1987, tocando “Noche de paz” no teatro Obras.

matérias relacionadas