por Redação

Um homem que transpira arte, mas que gosta de dizer que faz “jornalismo cantado e falado”

Ele é um legítimo representante da música popular brasileira e talvez um dos maiores defensores da nossa cultura. Depois de um período bastante difícil, no pós-tropicalismo, onde quase caiu no esquecimento absoluto, sua carreira deu uma reviravolta. No fim da década de 80, o ex-Talking Heads David Byrne teve acesso à sua obra e, depois de considerá-lo um gênio, editou e lançou mundialmente uma coletânea com seus melhores trabalhos, disco que foi aclamado pela crítica e que ficou entre os dez melhores da década em todo o mundo, na avaliação da revista Rolling Stone.

matérias relacionadas