Depois de sete anos sumida dos palcos, Kathleen Hanna volta com nova banda

Há sete anos as fãs de riot grrrl (gênero que une o feminismo ao punk rock) viviam praticamente conformadas com a reclusão de sua maior ícone, a norte-americana Kathleen Hanna.

Lider do lendário Bikini Kill nos anos 90 e do trio eletropunk Le Tigre, que acabou em 2007, Kathleen não lançou mais nada nos últimos anos. Mas agora reapareceu com sua conhecidíssima voz estridente com uma nova banda, The Julie Ruin, e o álbum Run Fast. Ela é agora acompanhada pelo tecladista Kenny Mellman, o baterista Carmine Covelli, a guitarrista Sara Landeau e sua melhor amiga e ex-baixista do Bikini Kill, Kathi Wilcox.

O nome da banda é o mesmo do álbum solo de Kathleen lançado em 1997. A gravação de Run Fast foi num clima bem família em Nova York, no Oscilloscope, estúdio que pertencia ao Beastie Boy Adam Yauch, que faleceu em 2012. Para quem não sabe, Kathleen é casada desde 2006 com o Beastie Boy Adam Horovitz, o AdRock.

As duas primeira músicas de trabalho do álbum são "Oh Come On" e "Ha Ha Ha", que deixam bem claro para quem gostava de Bikini Kill e Le Tigre que também vai gostar de The Julie Ruin. O único toque diferente na influência deste novo trabalho é o pop francês dos anos 60, que Kathleen ouviu bastante nos últimos tempos, segundo sua amiga Kathi. Mas a essência punk nas letras, batidas que nos dão vontade de pular e dançar, mistura de rock de garagem com eletrônico, e a inconfundível gritaria da maior anti-diva do punk rock feminino mostra que Kathleen não trai nunca seu ideais.

Vai lá: www.thejulieruinband.com // www.facebook.com/thejulieruin

matérias relacionadas