por Laura Pires

”Talvez seja normal que homens não saibam diferenciar essas coisas, afinal, não convivem diariamente com assédio como acontece com mulheres”

Você troca mensagens com o cara porque olhou pra ele e curtiu. De repente, sem nenhum aviso prévio, foto de piru na tela do seu celular. Se você reclama, é xingada.

Corta.

Você fica com o cara uma vez e acabou, não está a fim de repetir. O cara se sente no direito de te perturbar diariamente, cobrando que você fique com ele novamente.

Corta.

Você transa com o cara na mesma noite que o conheceu. Ele chega com o amigo pra te apresentar, quer que você dê pra ele também.

Alguma dessas histórias soa familiar?

De uns tempos pra cá, comecei a reparar que muito homem não sabe diferenciar assédio de demonstração de interesse. Não falo só daqueles comentários e cantadas na rua, falo de coisas do dia a dia mesmo: homens que nos abordam ou insistem conosco de forma que é muito mais assédio do que elogio. Também não falo só de homens que são inegavelmente babacas, mas também daqueles que nem sabem que o que estão fazendo é assédio.

Talvez seja normal que, via de regra, homens não saibam diferenciar essas coisas, afinal, não convivem diariamente com assédio como acontece com mulheres. Vou, então, listar umas dicas:

1) Não mande foto não-solicitada do seu pau

Se está rolando um contexto de troca de nudes, ok. Se a mulher deu a entender que gostaria, ok. Fora isso, deixa seu pau onde está. Seu pau só é interessante se você for interessante. Se seu pau chega primeiro, você não é interessante. 

2) Não chegue em uma mulher em situação vulnerável a ela

Se você está em um contexto superior à mulher ou em uma situação na qual ela possa se sentir ameaçada, fique na sua. Por exemplo, pode chegar na motorista do seu Uber? Talvez, se rolar um papo agradável, depois que sair de dentro do carro, você pode dizer que a achou interessante, pedir contato e coisa assim. Talvez. Do mais, dentro de um carro com um estranho, qualquer aproximação vai fazer a mulher sentir medo de ser estuprada. Então, paciência, às vezes a gente tem que deixar passar mesmo. Resista.

3) Se a mulher não está dando abertura, não insista

Se ela quisesse, demonstraria. E esse lance de abertura é relativo. Muito homem acha que sorrir e dar bom dia é dar abertura. Calma, caras, isso é só educação. A parada é que mulher é criada pra ser agradável com todo mundo e homem é criado pra só tentar ser agradável quando quer sexo. Lembre-se disso. Aprenda a ler sinais reais de interesse. Na dúvida, pergunte.

4) Não faça perguntas sexuais sem contexto pra isso

Uma vez do nada um cara me perguntou com que frequência me masturbo. Assim, no meio de uma conversa sobre qualquer outra coisa, sem intimidade, abertura ou contexto pra isso. É apenas babaca, não é bonitinho, não é sexy, não é legal. Eu até estava interessada, mas broxei ali.

5) Respeite

Uma amiga mandou uma foto de biquíni acidentalmente pra um colega de trabalho que tem o mesmo nome do cara com quem ela estava saindo. A foto foi daquelas que some em 24 horas, então, ela pediu que ele apagasse sem abrir. Um cara legal aceitaria o pedido e pronto, ia querer se esforçar pra não deixá-la mais constrangida. Mas esse cara não. Disse que era curioso, abriu a foto, fez elogios. Dali em diante, passou a dar em cima dela no trabalho frequentemente. Pode ser que ele tenha achado que ela mandou a foto de propósito e estava de historinha, mas as negativas subsequentes dela deveriam ser o suficiente pra ele entender. Ela teve que gritar com ele, bem diretamente, que nunca ficaria com ele, pra que ele enfim a deixasse em paz.

Tá, mas se esse monte de coisa é assédio e não demonstração de interesse, então o que você, homem, pode fazer? Tenho uma dica só: finja que somos seres humanos, não mulheres. A partir do momento em que você começa a nos enxergar como algo mais que objetos sexuais à sua disposição, fica muito mais fácil agir de forma bacana. Já experimentou de fato bater papo, com interesse genuíno pelo que a mulher tem a dizer? Tente. Próxima vez que achar uma mulher interessante, finja que ela é um ser humano e a trate como tal.

Créditos

Imagem principal: Beatriz Leite

matérias relacionadas