por Juliana Menz
Tpm #116

O jogador mostra por que conquistou o futebol e o público feminino

Aos 19 anos, Neymar já é um dos melhores jogadores do mundo, ostenta seis títulos, e 80 gols pelo Santos, ganha cerca de R$ 3 milhões por mês. Quer mais?! 

Neymar faz cara de choro: “Ai, não aguento mais responder”.

O que parece soar como fim de conversa é apenas o começo – e essa é a primeira das (poucas) frases que se ouvem do atacante durante as horas que ficou com a equipe da Tpm. Não é pra menos. Ele é o jogador mais requisitado do país. Um dia antes do ensaio, passou a tarde em entrevistas depois de renovar contrato com o Santos até 2014 e acabar com o diz que me diz que sobre sua possível ida à Europa. Nem Barcelona, nem Real Madrid. Neymar fica mesmo no Brasil.

Outra notícia deixou o craque ainda mais em evidência: pela primeira vez, um brasileiro que joga no país foi eleito pela Fifa como um dos 23 melhores do mundo – e Neymar pode concorrer ao prêmio anual

Bola de Ouro se for um dos três finalistas (que seriam anunciados no início de dezembro, após o fechamento desta edição). “É muito difícil estar nessa lista. Pra mim vai ser o Cristiano Ronaldo [do Real Madrid], o Messi e o Xavi [ambos do Barcelona]. Eu ainda não”, diz, com propriedade.

Independente de ser apontado como um dos favoritos, no dia 14 de dezembro público e imprensa só vão ter olhos para Neymar: é quando Santos e Barcelona jogam pela semifinal do Mundial de Clubes da Fifa, no Japão, vaga garantida com a conquista da Libertadores de 2011.

Enquanto o reconhecimento internacional aumenta, cresce também o número de meninos ao redor do estádio Urbano Caldeira, no litoral paulista – a Vila Belmiro –, que exibem um corte moicano igual ao do ídolo. “Meu filho quer deixar de ser são-paulino para ser santista. Acho que tudo bem trocar de time até os 10 anos, né?”, questiona uma mãe, que acaba de ter uma camisa do Santos assinada pelo craque. Assim como provam os torcedores de times adversários, que se rendem a Neymar, é difícil ficar indiferente ao carisma do jogador. Neymar é pop. Ele sorri, posa para as fotos e cumprimenta o público infantil com a paciência de quem pretende fazer isso por muitos anos.

Em meio ao furacão de coletivas de imprensa, fãs, assessores, o atacante chega ao vestiário do Santos, local das fotos, de bermuda, chinelo, polo cor-de-rosa e boné, que esconde o moicano – agora loiro! É o cabeleireiro Cosme, amigo de infância, quem assina o corte e a coloração. E ele também faz a sobrancelha. “Dou uma limpada. Mas não faço todo dia não, viu?”, alerta Neymar, que carrega em seu nécessaire da marca Emporio Armani nove produtos de beleza, entre nacionais e importados – a maioria destinada ao cabelo.

 

“Quando a mulher tem um olhar diferente, acho muito bonito”, diz, em tom quase irônico. E provoca: “Por que você tá fazendo esse olhar pra mim?”, pergunta à repórter. “Rá! Tô brincando. Quebrei o gelo, né?”

Harém

Antes das fotos, o jogador troca de roupa e fica de cueca na frente de todos, tira onda da própria magreza e dos truques do maquiador para salientar o abdome. É só a lente apontar em sua direção, porém, para mostrar a que veio. Alheio aos seus 19 anos, mira a câmera com profissionalismo e, à vontade, se arma para os flashes em segundos.

Neymar acaba de ser pai. Quando engravidou Carolina Dantas, aos 17 anos, os dois não estavam mais “ficando”. Neymar assumiu a paternidade e se comprometeu com o que fosse necessário à criança. “Foi um descuido, levamos bronca de todos os lados. Hoje, é uma bênção”, reconhece. “Não ficamos juntos, mas temos uma relação de amizade muito boa”, comenta sobre Carolina, que também é de Santos. Mesmo com a agenda apertada, o craque diz ver seu filho quase todos os dias. “Já troquei fralda, mas não é meu forte”, brinca. Assim que o menino nasceu, tatuou o nome dele no braço: Davi Lucca. Nos pulsos direito e esquerdo, respectivamente, já tinha escrito os nomes da irmã, Rafaela, e da mãe, Nadine.

A mulherada de todas as idades não escondem, digamos, a admiração pelo craque, que nega que sejam elas que tomem a iniciativa. “Elas chegam perto. Às vezes, tão perto que, já que ela está ali do seu lado há um tempão, você fala: ‘Oi, tudo bem?’ [risos].” Neymar não reclama. “Acho ótimo ser famoso, dar autógrafos”, entrega ele, que até pensa em casar um dia, apesar de nunca ter assumido oficialmente um namoro. “Imagina eu entrando na igreja, todo de branco.” De branco? “Claro, de branco. Mas daqui a uns 30 anos, né? Estou me divertindo”, solta o jogador, antes de dizer o que o atrai numa mulher: o olhar. “Quando a mulher tem um olhar diferente, acho muito bonito”, diz, em tom quase irônico. E ainda provoca: “Por que você tá fazendo esse olhar pra mim?”, pergunta à repórter. “Rá! Tô brincando. Quebrei o gelo, né?”, completa, rindo.

“A maioria [das mulheres] quer aparecer em cima do cara. É normal, né? O mundo da fama é assim”

Neymar nem pensa em se comprometer – quer mais é se divertir –, embora sites, jornais e revistas insistam em arranjar namoradas para o jogador. A atriz Fernanda Paes Leme já foi citada como uma delas. “Nos divertimos muito com esse boato na época. Somos amigos”, afirma ela, que conta detalhes da amizade: “Nos chamamos carinhosamente de malokeiro e malokeira, com k, claro! Além de ser um craque, é um menino bom, moleque ainda, mas fofo”, derrete-se.

A maioria dos boatos é com mulheres que nem amigas dele são. “Muitas se aproximam por interesse. É difícil encontrar uma sincera”, afirma, sério. “A maioria quer aparecer em cima do cara. É normal, né? O mundo da fama é assim”, diz, como quem se conforma com o inevitável. Porém, minutos depois de encerrada a entrevista, ele perde a pose por causa de revelações feitas por uma suposta namorada. A modelo Carol Abranches, 25 anos, que na mesma semana foi fotografada de biquíni em um iate, no Guarujá, ao lado do jogador e de amigos, afirmou que estava ficando com ele havia três semanas. Irritado, Neymar desmente tudo em seu Twitter.

O menino de Santos faz jus à condição de astro e principal alvo das “marias-chuteiras”. É disparado o jogador mais bem pago do Brasil – e agora figura no posto dos 20 salários mais altos do futebol mundial. Especula-se que, somados os patrocínios como Nike, Lupo e Red Bull, o atacante fature R$ 3 milhões ao mês.

Menino de ouro

Neymar conta que nunca cogitou ter outra profissão, se considera um privilegiado pelo futebol que joga, mas confessa que já abriu mão de muita coisa. “Quando era criança meus amigos iam ao Playcenter ou a qualquer outro lugar para se divertir, e eu tinha que treinar”, lembra o craque, que joga no Santos desde os 12 anos. Disciplina (e o olhar rígido do pai) sempre lhe foi exigida. E, embora Neymar seja visto em festas concorridas, ele afirma não tomar bebida alcoólica. “Se Deus quiser nunca vou beber. É fácil se perder no meio do caminho”, acredita. Seu irmão de criação, Joclécio dos Santos, confirma o estilo de vida do amigo. “Ele é muito sossegado, só fica nervoso quando perde pra mim na sinuca”, diverte-se.

De volta ao vestiário da Vila Belmiro, dois assessores que não desgrudam do jogador nem durante o ensaio apressam a saída do mais novo ídolo nacional. Neymar segue calmo. Autografa, com dedicatória, as (sete, tietagem assumida!) camisetas do Santos compradas pela equipe da Tpm. Abraça com vontade, sorri para as fotos e vai embora, mas não sem se despedir de um a um, com a certeza de que isso tudo é só o começo.

PRODUÇÃO DE MODA CAMILA NUNEZ MAQUIAGEM CELSO FERRER (ABÁ) ASSISTENTE DE FOTO FERNANDO FUSHIGAMI PRODUÇÃO ANA LUIZA TOSCANO SHORT E CALÇA NIKE E TOALHA ZÊLO

matérias relacionadas