por Lila Cruz

Mix de selo e loja criado pelo quadrinista Rafael Coutinho trabalha pela produção autoral de qualidade

Rafael Coutinho é um quadrinista cheio de projetos. Publicou a HQ Cachalote, que mais tarde se tornou o nome do selo Editorial, que ele mantém com o pai, Laerte. Lançou, através do financiamento coletivo, duas edições da série Beijo Adolescente (a terceira sai ainda este ano, também via crowdfuding). Além de todo o trabalho de desenho e roteiro de diversas HQs, Coutinho ainda movimenta a cena autoral de quadrinhos do país através da Narval Comix, um mix de selo e loja virtual de HQ.

Entre as HQs produzidas com o selo Cachalote estão as revistas Mil, quadrinhos feitos por artistas como Laerte, Tiago Elcerdo, Pedro Franz, Guazzelli, Rafael Sica e o próprio Rafael. Além de outras coleções, a Narval também se especializou em projetos especiais. Os pôsteres A2 cujas páginas compõem quadrinhos (em um deles por exemplo, Hellatoons, Eduardo Medeiros faz um trabalho incrível), serigrafias, e até toys estão entre os projetos que tornam a Narval um espaço que valoriza não só o quadrinho, mas todo o trabalho artístico colocado ou não dentro do rótulo de HQ.

“Fundamos a editora com um propósito muito claro: liberdade editorial e espaço pros artistas que mais admiramos escoarem trabalhos que aos nossos olhos definiam um novo rumo pra linguagem e para o meio, e não tinham espaço para existir nas prateleiras", conta Coutinho no blog da Narval.

Assinaturas

Entre os projetos mais comentados do ano estão as Assinaturas, pacotes de gravuras em serigrafia, numeradas e autografadas, que serão enviadas mensalmente para o assinante. Nesse primeiro semestre, os artistas convidados são Diego Gerlach e Pedro Franz. A ideia de fazer uma assinatura, segundo a própria equipe da Narval, é a de redução de riscos. “Assinar para reduzir o risco de produzir e não receber. De fazer mal feito porque não há grana e tempo. Risco de estarmos sozinhos, nós (editores), eles (artistas) e vocês”. Ao final das seis gravuras, o assinante poderá compor um livro, além da escolha habitual de colocar o trabalho nas paredes, pra todo mundo ver.

Coutinho e o grupo da Narval travaram uma guerra contra a queda de visualizações no Facebook (que ocorreu em dezembro e prejudicou muito projeto autoral e independente por aí). Para divulgar as Assinaturas e atingir a meta para começar o projeto, a batalha foi um novo crowdfunding, que acabou bem - as entregas das primeiras gravuras já começaram. "Acho que fomos tomados por aquela descarga de energia que os atletas sentem depois de um esforço extremo. Crowdfunding é um trabalho. E que trabalho. Cinco pessoas envolvidas durante algo como duas semanas, as finais, conversando e trocando constantemente informação, contatos, detalhes sobre as cartas, as artes de divulgação”, explica Coutinho nas cartas que publica sobre as Assinaturas, no IdeaFixa.

A Narval é um trabalho de grupo, que cresceu mas ainda continua trabalhando com independência, criando projetos nos quais acreditam. Depois de todos os crowdfundings bem sucedidos, Coutinho continua. E já tem na cabeça os próximos projetos, artistas envolvidos e meios de execução. “Quanto mais se sabe, mais se produz”, avalia o quadrinista.

Vai lá: www.narvalcomix.com.br

(*) Aline Cruz (aka Lila) é jornalista, ilustradora e quadrinista. Seu trabalho pode ser conhecido no site ColorLilas http://colorlilas.com Ela vai colaborar semanalmente com o site da Tpm escrevendo sobre HQ.

matérias relacionadas