por Nina Lemos

David Bowie é herói nacional de Berlim (não, Berlim não é Alemanha, Berlim é Berlim), é o pop star máximo dessa cidade que foi adotada por ele e que o adotou

Hauptstrasse, 155, Schoneberg. Esse é um endereço famoso em Berlim. Ali fica um prédio antigo, meio detonado, um prédio normal do oeste da cidade. Mas foi ali que viveu David Bowie, herói nacional de Berlim (não, Berlim não é Alemanha, Berlim é Berlim). Bowie é o pop star máximo dessa cidade que foi adotada por ele e que o adotou. Na manhã dessa segunda-feira, a porta do prédio da Hauptstrasse acordou com velas e flores colocadas por seus fãs e “vizinhos”. O Ministro do Interior da Alemanha, Thomas de Maizière, disse no Twitter que o país está de luto por perder um dos seus cidadãos.

David Bowie, que viveu em Berlim entre 1976 e 1979, nunca saiu daqui. Ele continua entre nós o tempo todo. Ao lado do prédio, existe um bar onde David costumava tomar café da manhã com seu amigo Iggy Pop, que morava no mesmo endereço. O “Neus” é um lugar vagabundo, uma espelunca maravilhosa com clientes que parecem pertencer ao mesmo tempo em que David Bowie viveu por essas bandas. Na parede, há uma pintura de Bowie cantando. Um desenho feio, tosco. Mas tão, tão David Bowie! Schoneberg, o bairro gay e boêmio, tem um ar de decadência chique. E parece que Bowie está por ali o tempo todo.

Foi nessa época que David gravou algumas das suas maiores obras primas, a triologia Berlim: “Low”, “Heroes” e “Lodge”. Os álbuns são cheios de referencias à cidade. Há ali cenas da noite, o muro.

A Berlim de David Bowie é a de 40 anos atrás, uma cidade dividida. Mas, repito, Bowie ainda está por aqui. E seus passos são lembrados em dezenas de livros, fotos e até em passeios turísticos onde os fãs visitam “os lugares do Bowie.”


Por aqui, estamos sempre tentando seguir seus passos. Ele frequentava o SO36, o clube punk de Kreuzberg que continua underground e incrível. Então, pronto, mais uma razão para amar o SO.

Alguns dos lugares “Bowie” de Berlim não existem mais. E, em 2013, em mais uma homenagem à cidade, Bowie procura por eles. Em “Where are we now”, ele susurra e vaga pela Berlim onde viveu. Fala com os mortos e vê alguêm perto da KDV (a tradicional loja de departamentos da Kuddam). Ele pega um trem em Potsdamer Platz. Onde nós estamos agora?”, ele susurra, ele quase chora.

David Bowie é o berlinese mais cérebre. Um irmão-amigo de todos que escolheram essa cidade para viver. David Bowie é um de nós. David Bowie é o melhor de nós.

E “onde nós estamos agora?” Vagando tristes como ele no clipe da música. Mas sabendo que Bowie ainda está entre nós. Se ele continuou por perto 40 anos depois de se mudar, porque não estaria mais aqui depois da morrer? Não, não existe Berlim sem David Bowie.

matérias relacionadas