por Nina Lemos
Tpm #92

Depois do livro sobre mulheres antas, agora queimamos um manual para quem quer ser vaca

QUEIMANDO O LIVRO

 

“Mãe é mãe, paca é paca, mulher é tudo vaca.” Esse era um trecho de uma música que o Casseta & Planeta cantava no início da década de 90. As coisas mudaram e de lá pra cá as mulheres fizeram uma nova revolução. Mas é impossível tirar a música da cabeça depois de ter em mãos o livro Descubra Sua Vaca Interior – Manual da Mulher Poderosa, da americana Elizabeth Hilts.

A autora tenta provar que ser certinha é atraso de vida. E que toda mulher deve ser meio vaca, o que significa falar o que pensa e fazer o que quer. ATENÇÃO! Desde quando uma moça que faz o que tem vontade é vaca? No mês passado queimamos um livro em que as autoras chamavam as mulheres de antas. O que está acontecendo? Uma espécie de pesadelo mundo animal?

A vaca do livro, em inglês, é uma bitch, ou seja, uma puta. Anta, cadela, vaca, o que você prefere ser? OK, em certo momento dos anos 90, as mulheres usaram o termo bitch para tirar onda, do tipo “sou bitch, sim, e daí?”. Mas não precisamos mais disso.

O choque não acabou. Existe uma lista extensa de livros sobre mulheres cadelas! A espertinha Elizabeth Hilts lançou, nos Estados Unidos, uma série de “manuais da mulher vaca”. Um deles ensina como ser bitch no trabalho (medo!); outro como ser bitch na cama (nojo!); e como ser bitch em relacionamentos (pra que mesmo?).

Ainda precisamos contar que vamos queimar este livro? E, junto dele, as antas, as vacas, as cadelas.

Não vai lá:
Descubra Sua Vaca Interior – Manual da Mulher Poderosa, ed. V&R

matérias relacionadas