por Gabriela Sá Pessoa
Tpm #133

Cultura pop, sintetizadores e cadernos retrô se encontram na sala da musicista

, em uma viagem.” 6. Relógio “Herdei do meu pai, me faz lembrar muito dele porque ele me ensinou a ver as horas neste relógio. É maravilhoso, mas prefiro não usar muito.” 7. Vela Voluspa “Sou completamente louca por velas de cheiro! Estou até pensando em produzir umas com uma amiga.” 8. Paleta de sombras “Aprendi a gostar de maquiagem quando percebi que é uma pintura que você faz no rosto.” 9. Disco Classics, do Ratatat “Tenho escutado muito.” 10. Robô R2-D2 “Sou louca por Guerra nas estrelas. Este [modelo Lego] comprei na Dinamarca.”]

Maria Luiza Jobim, 26 anos, é, como o sobrenome sugere, filha do maestro Tom. Mas assume: “Nunca tive costume de ouvir música brasileira. Tenho uma coisa afetiva com a música do meu pai, vejo como outra coisa, faz parte de mim”. Ligada em jazz e música eletrônica, mostra suas influências no primeiro EP de Opala, duo que integra com Lucas de Paiva. Ela nos vocais, ele nos sintetizadores. Fora da música, Luiza é “zero tecnológica”. Gosta de desenhar (fez a capa do EP) e coleciona cadernos Moleskine. “Trabalho com computador o tempo todo, mas tenho agenda telefônica de papel.”

Vai lá: Opala soundcloud.com/maria-luiza-jobim1Q84, ed. Alfaguara, R$44,90; Voluspa www.voluspa.com



matérias relacionadas