por Dee Freitag

Dez novas cantoras ”fora da caixa” pra ouvir já

É cada vez mais comum nos depararmos com novidades pra lá de interessantes e com um diferencial a mais no mundo da música. Tais novidades surgem de todos os cantos da internet e ostentam um perfil singular, seja na sonoridade ou na maneira de se apresentarem ao público.

Karin Dreijer Andersson, vocalista do The Knife e responsável pelo Fever Ray, ganhou fama de esquisitinha cool em um tempo no qual o experimentalismo e a ousadia ainda causavam certo estranhamento. Na mesma época, as irmãs CocoRosie construíam o que hoje é chamado de freak folk, marcado por batidas experimentais quase esquizofrênicas e pelo estilo hippie moderninho de roupas largas, coloridas e aparência, por muitas vezes, andrógina. Enquanto isso na Islândia, Björk apresentava um universo paralelo, cercado de seres inimagináveis, em um cenário  obscuro e místico.

Ser diferente em algum aspecto da música deixou de ser um simples detalhe na apresentação do artista. A cada ano  aparece uma boa soma de novidades que mostram, naturalmente ou não, certa esquisitice no jeito de apresentar o seu trabalho – que, por muitas vezes, reflete a moda e cultura de onde vieram.

Aqui, selecionamos dez cantoras com um quê de esquisitinhas pra você ouvir já: 

Iamamiwhoami - Através de vídeos misteriosos postados em uma conta anônima no YouTube, o projeto eletrônico que levou o nome de iamamiwhoami (traduzindo ao pé da letra, “eu sou quem eu sou”) conquistou a internet com uma proposta nada convencional. O foco são imagens bem captadas de uma paisagem quase lisérgica, combinadas  por uma trilha cantada pela sueca Jonna Lee. - www.youtube.com/user/iamamiwhoami 

 

Lorde - A neozelandesa Lorde, de apenas 16 anos, apareceu nas redes sociais no final do ano passado e lançou o elogiado The Love Club EP, que trouxe cinco canções que revelaram suas referências sobre o amor e a vida. Soando ligeiramente pop, traz ainda um certo apelo através de inspirações lúdicas e, às vezes, até sombrias. http://lorde.co.nz


MS MR - Formada por Max e Lizzy, a dupla nova-iorquina mostrou que não é somente de bons vídeos que se faz uma banda. Dona de uma voz estonteante (que lembra, em certos momentos, Florence + The Machine), Lizzy transcende alguns pontos da esquisitice – que começa já pelas madeixas, com uma cor diferente conforme o seu humor. A dupla lançou recentemente o disco de estreia, intitulado Secondhand Rapturewww.msmrsounds.com 

 

Brooke Candy - Cria da internet, Brooke Candy é rapper, stripper e cresceu nos bastidores da indústria pornô californiana. Atualmente é vista como uma das excentricidades mais interessantes da moda e propõe um estilo nada comum, inspirada na moda dos anos 1990 e na rebeldia dos mais moderninhos. www.soundcloud.com/brooke-candy


Grimes - Claire Boucher é o nome por trás do projeto Grimes, que desde 2010 tem ganhado cada vez mais espaço na música eletrônica. Sua música é uma combinação atípica entre o experimentalismo, influências medievais e o minimalismo. A esquisitice não para na sonoridade, o videoclipe de “Genesis” vai te explicar o motivo. www.grimesmusic.com


Kate Boy - Dispensando qualquer apresentação, o Kate Boy é aquela novidade que o seu amigo vai te apresentar em alguma festa e fazer você se apaixonar. O trio mantém certo mistério nos videoclipes, mas impressiona na sonoridade impecável – que, em certos momentos, fará lembrar os primórdios do The Knife. Esquisitices à parte, não vai demorar muito para a banda fazer sucesso no Brasil. www.kateboy.com.


Charli XCX - Saindo das profundezas obscuras do Tumblr, a britânica Charli XCX não tem somente um sobrenome estranho, como também uma postura avessa a tudo que é comum nos dias de hoje. Sua música é um pop futurista, carregado de sintetizadores eletrônicos e inspirações na década de 1990. Explicar tal receita pode parecer fácil, mas a descoberta acontece em seus videoclipes, onde revela uma legião de garotas abandonadas procurando por vingança. www.charlixcxmusic.com


Cosmo V - Das novidades apresentadas nesta lista, uma das mais promissoras atende pelo nome de Cosmo V - cantora indiana é responsável por boa parte do seu material, dentre eles a direção dos próprios videoclipes. As comparações vão desde Lykke Li até Grimes, mas o diferencial está nas entrelinhas: certa dose de melancolia combinadas ao estilo único de se apresentar para o público. www.soundcloud.com/cosmo_v


- Karen Ørsted deve ter sido a garota mais estranha da escola, talvez pela magreza ou pelo desajeito na hora de se comunicar. O que importa hoje é o nome que carrega na música da Dinamarca sob o pseudônimo MØ. Vocais expressivos, batidas pop delirantes e um clima sombrio permeiam o seu trabalho. https://soundcloud.com/momomoyouth 


Twigs - Vista como uma versão feminina de James Blake, a britânica Twigs saiu do Tumblr para a blogosfera com sua proposta multimídia e produção pra lá de moderna. Ainda não há muitas informações sobre sua música, mas o que vemos é que a excentricidade não para em seus clipes – seu visual passeia entre o folk e inspirações indianas, porém com muita sombriedade. http://twigstwigs.tumblr.com. 

Abaixo a playlist de vídeo clipes escolhidos pelo Dee: 

*Dee Freitag é apaixonado por vocais femininos, coleciona CDs desde pequeno e revela a nova música no blog Pick Up The Headphones. Escreve, a cada 15 dias, a seção Música pra meninas e sobre meninas, aqui no site. Conheça mais sobre ele no Blog da Tpm.

matérias relacionadas