por Redação

Na Casa Tpm, Milly Lacombe mediou papo entre Martha Nowill, Maria Lucia Homem, Mahmundi e Maria Eugênia López sobre o delicado equilíbrio entre os prazeres e angústias femininos

INSCREVA-SE EM NOSSO CANAL: youtube.com/trip

Sob a mediação de Milly Lacombe, a atriz Martha Nowill, a psicanalista Maria Lucia Homem, a cantora Mahmundi e a executiva e diretora do Santander, Maria Eugênia López, subiram ao palco para o primeiro debate da Casa Tpm 2017 para conversar sobre o delicado equilíbrio entre os prazeres e angústias femininos.

"Quando estou comendo direito, malhando, me sinto angustiada. Daí começo a beber todas, sair à noite, e continuo angustiada. É uma culpa de nunca estar confortável com o que eu tenho", disse. Todo mundo deu risada quando Martha confessou: "Sou tão angustiada que pensei que vocês tinham me sacado quando me convidaram para esse debate".

A psicanalista Maria Lucia Homem chamou atenção para como o conceito de ideal atravanca nosso bem-estar. "Estamos sempre pensando se nossos relacionamentos, transas, trabalho e até filhos poderiam render mais?", reflete.

O sexo protagonizou o meio para o fim da conversa. Mahmundi confessou que o início de sua vida sexual foi bastante parecido com uma prova de química: "A gente sabe que não vai se dar bem, mas tem que fazer". A maneira como falamos de sexo é muito misturada com ilusões e "isso transforma a missão de tocar fundo no nosso desejo desconhecido uma tarefa bastante difícil", segundo explica Maria Lucia Homem. "Você pode gozar ao ser chamada de vaca na hora do sexo", disse.

ASSISTA:

play

Veja como foi a Casa Tpm 2017: Sábado e Domingo

Patrocínio Master

Patrocínio

Apoio

Comunicação

matérias relacionadas